Meteorologia

  • 23 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 23º

Líderes da UE vão pedir "contenção" para evitar escalada no Médio Oriente

Os líderes da União Europeia (UE) vão hoje pedir "máxima contenção" ao Irão e Israel para evitar uma escalada de tensões no Médio Oriente, condenando "veemente e inequivocamente" o recente ataque iraniano, na primeira cimeira do novo primeiro-ministro português.

Líderes da UE vão pedir "contenção" para evitar escalada no Médio Oriente
Notícias ao Minuto

06:59 - 17/04/24 por Lusa

Mundo Médio Oriente

Falando na antevisão do Conselho Europeu extraordinário de dois dias em Bruxelas -- que será o primeiro do chefe de Governo português, Luís Montenegro, que tomou posse no início deste mês --, fontes europeias indicaram que o ataque do Irão com 'drones' (aeronaves não tripuladas) e mísseis a Israel no passado fim de semana levou à inclusão na agenda do encontro a discussão sobre a situação no Médio Oriente.

Segundo o mais recente rascunho das conclusões desta cimeira extraordinária, a que a Lusa teve acesso, "o Conselho Europeu apela ao Irão e aos seus representantes para que cessem completamente os seus ataques e insta todas as partes a darem provas da máxima contenção e a absterem-se de qualquer ação que possa aumentar as tensões na região".

No texto, que terá ainda de ser aprovado, os chefes de Estado e de Governo também "condenam veemente e inequivocamente o ataque iraniano a Israel e reitera a sua total solidariedade para com o povo de Israel e o seu compromisso com a segurança deste país".

Ao mesmo tempo, será mencionada nas conclusões a crise humanitária na Faixa de Gaza, com os líderes dos 27 da UE a reiterarem "o seu compromisso de colaborar com os parceiros para pôr termo à crise".

O foco inicial deste Conselho Europeu extraordinário de dois dias seria a competitividade do mercado interno, mas, apesar de o assunto continuar em agenda, a atualidade internacional impôs-se com o recente aumento das tensões entre Teerão e Telavive.

Na quinta-feira, o segundo e último dia da cimeira extraordinária será então dedicado à economia da UE, com o Conselho Europeu a receber o antigo primeiro-ministro italiano, Enrico Letta, para discutir o relatório por si preparado sobre o mercado interno comunitário e debater como reforçar a competitividade europeia face aos Estados Unidos e à China.

Em cima da mesa está um "novo acordo europeu para a competitividade", que visa eliminar as barreiras à circulação de bens, serviços e capitais, mobilizar mais investimento público e, sobretudo, privado para evitar que as empresas abandonem a UE e simplificar a burocracia para as empresas, de acordo com o rascunho de conclusões a que a Lusa teve acesso.

Leia Também: EUA vão impor novas sanções ao Irão

Recomendados para si

;
Campo obrigatório