Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 30º

Ministro da Defesa chinês pede mais "confiança" entre Pequim e Washington

O Ministro da Defesa da China pediu "mais confiança" entre Pequim e Washington durante uma reunião na terça-feira com o homólogo norte-americano, a primeira a este nível em ano e meio, foi hoje anunciado.

Ministro da Defesa chinês pede mais "confiança" entre Pequim e Washington
Notícias ao Minuto

07:24 - 17/04/24 por Lusa

Mundo China

China e Estados Unidos "devem considerar a paz como a coisa mais preciosa, a estabilidade como a coisa mais importante e a confiança como a base para as trocas", disse Dong Jun a Lloyd Austin, de acordo com um comunicado pelo Ministério da Defesa chinês.

"O setor militar é crucial para (...) estabilizar o desenvolvimento das relações bilaterais e prevenir grandes crises", sublinhou Dong Jun, acrescentando que o Presidente chinês, Xi Jinping, e o Presidente norte-americano, Joe Biden, estão "determinados a estabilizar e melhorar as relações bilaterais".

O Ministro da Defesa chinês reafirmou a posição sobre Taiwan, uma ilha com 23 milhões de habitantes que a China reivindica como parte do seu território.

"A questão de Taiwan está no centro dos interesses fundamentais da China e os interesses fundamentais da China não devem ser prejudicados", sublinhou.

O exército chinês "nunca se calará nem se resignará perante as ações separatistas que defendem a independência de Taiwan e perante a conivência e o apoio do exterior", declarou Dong Jun, numa crítica velada a Washington, principal apoiante militar de Taipé.

A China considera Taiwan como uma das suas províncias, que ainda não conseguiu reunificar com o resto do território desde o fim da guerra civil chinesa em 1949.

O ministro da Defesa chinês apelou também aos Estados Unidos para que respeitem as reivindicações de soberania do país no mar do Sul da China.

Pequim reivindica uma grande parte das ilhas e recifes desta vasta zona marítima, onde as tensões com as Filipinas aumentaram nos últimos meses.

"A situação atual no mar do Sul da China é geralmente estável e os países da região têm a vontade, sabedoria e capacidade de resolver os problemas", sublinhou Dong Jun.

"Os Estados Unidos devem reconhecer a posição firme da China, respeitar sinceramente a soberania territorial, os direitos e interesses marítimos da China no mar do Sul da China e adotar medidas concretas para salvaguardar a paz regional", disse.

Leia Também: Congresso dos EUA. Relatório acusa China de fomentar produção de fentanil

Recomendados para si

;
Campo obrigatório