Meteorologia

  • 26 MAIO 2024
Tempo
23º
MIN 14º MÁX 23º

Ataques a Zaporíjia? Mundo está "perigosamente perto de acidente nuclear"

Rafael Grossi declarou ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas que, embora "não tenham conduzido a um incidente radiológico", "estes ataques irrefletidos devem cessar imediatamente".

Ataques a Zaporíjia? Mundo está "perigosamente perto de acidente nuclear"
Notícias ao Minuto

18:04 - 16/04/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Ucrânia

O diretor da Agência Internacional da Energia Atómica (AIEA), Rafael Mariano Grossi, afirmou que os ataques contra a maior central nuclear da Europa, em Zaporíjia, na Ucrânia, colocaram o mundo em risco.

"Estamos a aproximar-nos perigosamente de um acidente nuclear", afirmou Grossi, na sequência dos pelo menos três ataques contra a central nuclear desde 7 de abril, confirmados pela AEIA.

Grossi declarou ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas que, embora "não tenham conduzido a um incidente radiológico", "estes ataques irrefletidos devem cessar imediatamente", uma vez que "aumentam significativamente o risco" e comprometem a segurança nuclear, destaca a Euronews.

A natureza de controlo remoto dos drones que atacaram a central significa que não é possível determinar quem os lançou. "Para podermos dizer algo deste género, temos de ter provas. Estes ataques foram efetuados com uma grande quantidade de drones", afirmou.

Na segunda-feira, a Ucrânia e os seus aliados culparam a Rússia pelas constantes ameaças no local. Por seu lado, Moscovo culpou Kyiv pelos ataques.

"O relatório da AIEA não indica o lado que está por detrás dos ataques... [Mas] sabemos muito bem quem é", afirmou o embaixador russo na ONU, Vassily Nebenzia.

De salientar que Zaporíjia se situa num território controlado pela Rússia no sudeste da Ucrânia e tem seis reatores nucleares.

Os receios de uma catástrofe nuclear têm estado em primeiro plano desde que as tropas russas ocuparam a central pouco depois da invasão à Ucrânia, em fevereiro de 2022. Os contínuos combates entre as forças russas e ucranianas, bem como a tensa situação de abastecimento na central, aumentaram estes riscos .

Leia Também: AIEA alerta para "situação extremamente grave" em Zaporíjia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório