Meteorologia

  • 24 MAIO 2024
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 25º

MNE egípcio pede calma aos homólogos iraniano e israelita

O ministro egípcio dos Negócios Estrangeiros, Sameh Shukri, chamou hoje os homólogos iraniano e israelita para lhes pedir que exerçam "o mais alto nível de autocontenção" para evitar uma escalada da violência, depois do ataque do Irão contra Israel.

MNE egípcio pede calma aos homólogos iraniano e israelita
Notícias ao Minuto

20:58 - 14/04/24 por Lusa

Mundo Sameh Shukri

"Shukri apelou aos seus homólogos iraniano e israelita [Hosein Amir Abdolahian e Israel Katz, respetivamente] para que exerçam o mais alto nível de autocontenção e se abstenham de políticas arriscadas e de provocações mútuas, que aumentariam a tensão e a instabilidade no Médio Oriente", declarou o porta-voz egípcio dos Negócios Estrangeiros, Ahmed Abu Zeid, em comunicado.

O chefe da diplomacia egípcia transmitiu aos dois colegas a disponibilidade do Egito para "intensificar os esforços", em cooperação com o Irão e Israel, para desativar a atual crise, que "está a escalar perigosamente, especialmente porque coincide com a crise na Faixa de Gaza e com o sofrimento diário do povo palestiniano".

Esta escalada, disse Shukri, "tornou-se uma séria ameaça à segurança e à estabilidade na região".

Num outro comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros egípcio informou que Sameh Shukri também manteve hoje uma conversa telefónica com o secretário de Estado norte-americano Antony Blinken para discutir o lançamento de 'drones' iranianos contra alvos israelitas na noite passada.

Reiterou nos dois telefonemas a "posição firme" do Egito (o mais recente palco das conversações para a trégua em Gaza) em "exigir um cessar-fogo em Gaza, facilitar a entrada de ajuda humanitária e rejeitar qualquer tentativa de deslocar os palestinianos das suas terras".

O ministro sublinhou ainda "a vontade do Egito de coordenar com os Estados Unidos a contenção da atual crise entre o Irão e Israel", refere o comunicado.

O Médio Oriente vive um momento de tensão acrescida depois de o Irão ter lançado mais de 300 drones, mísseis e mísseis balísticos contra Israel na noite passada, o primeiro ataque deste tipo a partir de solo iraniano.

Israel - com a ajuda dos Estados Unidos, do Reino Unido e da vizinha Jordânia - conseguiu intercetar 99% destes mísseis, a maioria fora do espaço aéreo israelita, pelo que a ofensiva iraniana não causou mortos, mas deixou uma menina de sete anos gravemente ferida por estilhaços e danos ligeiros numa base da força aérea no sul do país.

Leia Também: AO MINUTO: UE pede "máxima contenção"; "Declaração de guerra", diz Israel

Recomendados para si

;
Campo obrigatório