Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 30º

G7 avisa Irão que tomará novas medidas se país continuar ataques a Israel

Os países do G7 "condenaram veementemente" o ataque iraniano a Israel e advertiram o Irão de que "tomarão novas medidas" se este continuar com "iniciativas desestabilizadoras" no Médio Oriente, após uma reunião por videoconferência.

G7 avisa Irão que tomará novas medidas se país continuar ataques a Israel
Notícias ao Minuto

18:35 - 14/04/24 por Lusa

Mundo Irão/Israel

Numa declaração conjunta, os dirigentes da Itália, Alemanha, Reino Unido, Estados Unidos, Japão, Alemanha e Canadá, para além dos da União Europeia (UE), afirmaram que, "com as suas ações, o Irão deu mais um passo no sentido da desestabilização da região e arrisca-se a provocar uma escalada regional incontrolável".

"Esta situação deve ser evitada", defenderam, no final da reunião presidida pela primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni.

O Médio Oriente vive um momento de tensão depois de o Irão ter lançado mais de 300 drones, mísseis e mísseis balísticos na noite passada, no primeiro ataque deste tipo a Israel a partir de solo iraniano, aguardando-se a possível resposta israelita.

"Nós, os líderes do G7, condenamos inequivocamente, nos termos mais fortes, o ataque direto e sem precedentes do Irão contra Israel. O Irão disparou centenas de drones e mísseis contra Israel. Israel, com a ajuda dos seus parceiros, derrotou o ataque", lê-se na declaração.

Os líderes, que se reuniram durante menos de uma hora, expressaram também "total solidariedade e apoio a Israel e ao seu povo" e reafirmaram "empenhamento na sua segurança".

"Exigimos que o Irão e os seus agentes cessem os seus ataques e estamos prontos a tomar novas medidas agora e em resposta a novas iniciativas desestabilizadoras", acrescentaram.

Os eurodeputados comprometeram-se também a reforçar a sua cooperação "para pôr termo à crise em Gaza, nomeadamente continuando a trabalhar para um cessar-fogo imediato e sustentável e para a libertação dos reféns do Hamas, e prestando uma maior assistência humanitária aos palestinianos necessitados".

A presidência italiana do G7 tinha convocado a reunião depois de o Presidente dos EUA, Joe Biden, ter afirmado esta manhã que iria solicitar uma reunião do grupo para coordenar uma resposta diplomática, depois de ter prometido o seu apoio a Israel, embora nas últimas horas tenha manifestado a sua oposição a participar numa ofensiva, o que poderá levar Telavive a evitar uma resposta de momento.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, avisou hoje que Israel vai derrotar o Irão, na sua primeira mensagem pública após o ataque, enquanto o Presidente iraniano, Ebrahim Raisi, afirmou que os Guardas Revolucionários deram uma lição a Israel com os ataques de mísseis e drones de ontem à noite e avisou o Estado judaico para não responder.

De quarta-feira a sexta-feira, os ministros dos Negócios Estrangeiros do G7, o grupo dos países mais ricos do mundo, vão reunir-se na ilha italiana de Capri, com a situação no Médio Oriente como prioridade máxima.

Leia Também: Líderes do G7 comprometem-se a levar mais ajuda humanitária a Gaza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório