Meteorologia

  • 18 MAIO 2024
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 20º

Dezassete dos tripulantes do navio português capturado são indianos

O Governo da Índia está em contacto com Teerão através de canais diplomáticos para garantir a segurança de 17 indianos a bordo de navio com pavilhão português capturado pelo Irão perto do Estreito de Ormuz, afirmou hoje fonte oficial.

Dezassete dos tripulantes do navio português capturado são indianos
Notícias ao Minuto

16:53 - 13/04/24 por Lusa

Mundo Estreito de Ormuz

"Estamos cientes de que o controlo do cargueiro MSC Aries foi tomado pelo Irão. Sabemos que há 17 cidadãos indianos a bordo", afirmou à agência espanhola Efe fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Índia.

De acordo com a mesma fonte, o Governo indiano está em "contacto com as autoridades iranianas, através de canais diplomáticos, tanto em Teerão como em Nova Deli, para garantir a segurança, o bem-estar e a rápida libertação dos cidadãos".

Índia e Irão mantêm relações diplomáticas estáveis desde 1950, apesar de as relações económicas estarem dominadas pelas importações de petróleo iraniano por parte de Nova Deli.

A agência Tasnim, ligada à Guarda Revolucionária iraniana, anunciou hoje que "um navio cargueiro associado ao regime sionista [Israel]" fora capturado.

O MSC Aries é um navio de carga com pavilhão português (registo na Região Autónoma da Madeira), sendo a empresa proprietária a Zodiac Maritime Limited, com sede em Londres, parte do grupo Zodiac, pertencente ao bilionário israelita Eyal Ofer.

O incidente ocorre no meio da tensão criada pelo ataque israelita ao consulado do Irão em Damasco, em 01 deste mês, que deixou sete membros da Guarda Revolucionária mortos. O Irão prometeu entretanto retaliar, tendo os Estados Unidos alertado para a possibilidade de Teerão responder durante o fim de semana.

O navio saiu de Khalifa, nos Emirados Árabes Unidos, com destino a Nhava Sheva, na Índia, e a última posição recebida foi sexta-feira, exatamente no mesmo local perto do Estreito de Ormuz onde foi apresado.

A agência de notícias estatal iraniana IRNA reconheceu hoje o assalto ao navio, depois de ter sido reportado um ataque a esse mesmo barco, que se suspeitava ter sido levado a cabo pela Guarda Revolucionária, força paramilitar iraniana que promoveu assaltos semelhantes no passado.

O incidente foi inicialmente reportado pela agência de operações comerciais marítimas do Reino Unido (UKTMO), cuja fonte partilhou com a AP o vídeo desse mesmo ataque.

Desde 2019 que o Irão tem sido acusado de estar envolvido em vários assaltos e ataques a navios na zona do golfo de Omã, por onde passa cerca de um quinto de todo o petróleo comercializado no mundo.

O Governo português afirmou que não há cidadãos portugueses a bordo e que já pediu esclarecimentos a Teerão.

Leia Também: Navio de pavilhão português apresado pelo Irão tem 25 tripulantes a bordo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório