Meteorologia

  • 23 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 23º

Polícia iraniana lança campanha para voltar a impor uso do véu

A polícia iraniana anunciou hoje que as mulheres que "promovem anomalias sociais como o não uso do 'hijab'" vão enfrentar ações judiciais, no âmbito de uma nova campanha para voltar a impor a obrigatoriedade do uso do véu islâmico.

Polícia iraniana lança campanha para voltar a impor uso do véu
Notícias ao Minuto

15:36 - 13/04/24 por Lusa

Mundo Irão

"A partir de hoje, a polícia de Teerão e de outras províncias atuará de acordo com o pedido da comunidade religiosa do nosso país e as suas expectativas em relação à sociedade islâmica, e confrontará as pessoas que promovem anomalias sociais, como não usar o 'hijab'", anunciou o comandante da polícia de Teerão, Abbas-Ali Mohammadi.

Muitas mulheres no Irão deixaram de cumprir com o código de vestimenta imposto, em particular o uso do véu, desde a morte da jovem Mahsa Amini, com 22 anos, que ocorreu em 16 de setembro de 2022, após ser detida pela polícia da moralidade iraniana por supostamente usar o seu 'hijab' de forma incorreta.

Neste âmbito, o comandante da polícia alertou que as mulheres que não cumprirem a lei enfrentarão "ações legais", segundo a agência Mehr, citada pela EFE.

"O povo iraniano é conhecido por respeitar a lei e apenas poucas pessoas ignoram a lei", acrescentou Mohammadi.

A Polícia iraniana já tinha anunciado esta semana que a partir de hoje "aplicará com mais seriedade a legislação do 'hijab' e da castidade em todas as ruas e locais públicos", algo que costuma acontecer com a chegada da primavera e o aumento das temperaturas.

A nova campanha para voltar a impor uso do véu ocorre na sequência de muitas mulheres iranianas terem deixado de usar o véu como forma de desobediência civil desde a morte de Mahsa Amini, que provocou fortes protestos no país.

O clima de protesto acalmou com uma repressão policial que provocou 500 mortos, tendo as autoridades iranianas tentado voltar a impor o uso do véu com vários métodos de coação, mas não conseguiram totalmente.

Nos últimos meses aumentou o número de mulheres com o cabelo descoberto nas ruas de Teerão, em lojas e em restaurantes.

No início de março, a Amnistia Internacional (AI) denunciou que as autoridades iranianas estariam a levar a cabo uma campanha massiva de repressão contra as mulheres que não usam o véu, com a apreensão de milhares de veículos, penas de prisão e até chicotadas.

Apesar disso, muitas mulheres iranianas continuam a não se cobrir com o 'hijab'.

O líder supremo do Irão, Ali Khamenei, declarou no início deste mês que as mulheres iranianas devem "obedecer" e cobrir os cabelos com um véu islâmico.

Para as mulheres muçulmanas praticantes, cobrir a cabeça é um sinal de piedade diante de Deus e modéstia diante de homens.

No Irão, o 'hijab' -- e o abrangente 'xador' preto usado por algumas mulheres -- também é há muito tempo um símbolo político, especialmente depois de se tornar obrigatório nos anos que se seguiram à Revolução Islâmica de 1979.

Leia Também: Diretor de escola ameaçado de morte por tentar impedir uso de hijab

Recomendados para si

;
Campo obrigatório