Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 13º MÁX 26º

Venezuela acusa EUA de criar bases militares em disputa com a Guiana

Caracas, 04 abr 2024 (Lusa) -- O Presidente da Venezuela acusou os EUA de instalaram "bases militares secretas" no território de Essequibo, em disputa com a vizinha Guiana e instou os venezuelanos a estarem preparados para defender o país.

Venezuela acusa EUA de criar bases militares em disputa com a Guiana
Notícias ao Minuto

06:15 - 04/04/24 por Lusa

Mundo Guiana

"Temos informações confirmadas de que no território da Guiana Essequiba, temporariamente administrado pela Guiana, foram instaladas bases militares secretas (...), núcleos militares do Comando Sul e núcleos da CIA", disse Nicolás Maduro na quarta-feira.

O líder venezuelano referia-se ao Comando Sul militar dos Estados Unidos, responsável pela América Central, América do Sul e Caraíbas, e à Central Intelligence Agency (CIA), a agência de espionagem norte-americana.

Maduro falava na Assembleia Nacional, an capital Caracas, no ato de promulgação da nova Lei para a Defesa da Guiana Essequiba, durante o qual disse que a alegada instalação de bases militares secretas tem como propósito "preparar agressões contra a população de Tumeremo [880 quilómetros a sudoeste de Caracas] e contra a população do sul e do leste da Venezuela, e para preparar uma escalada contra a Venezuela".

"A Guiana é governada pelo Comando Sul, pela CIA e pela [petrolífera norte-americana] ExxonMobil. E não estou a exagerar. Eles controlam o Congresso e os dois partidos maioritários, o governo e a oposição. Controlam todo o governo. Controlam totalmente todas as forças de defesa da Guiana, as forças policiais", disse Maduro.

Os venezuelanos devem "estar sempre preparados, com a guarda e a moral em alto, para defender o direito da Venezuela à paz e à sua integridade territorial", acrescentou.

A região de Essequibo, que aparece nos mapas venezuelanos como "zona em reclamação", está sob mediação da ONU desde 1966, quando foi assinado o Acordo de Genebra.

Com cerca de 160 mil quilómetros quadrados, Essequibo é rico em petróleo, representa mais de dois terços do território da Guiana e abriga cerca de um quinto da população, ou cerca de 125 mil pessoas.

A reivindicação da Venezuela tornou-se mais premente desde que a ExxonMobil descobriu petróleo em Essequibo, em 2015, tendo a tensão entre os dois países aumentado desde então.

Para a Venezuela, o rio Essequibo devia ser a fronteira natural, como era em 1777, durante a época do império espanhol. A Guiana argumenta que a fronteira, que remonta à era colonial britânica, foi ratificada em 1899 por um tribunal arbitral em Paris.

Entretanto, a Guiana autorizou já oito empresas estrangeiras a explorar jazidas petrolíferas em águas reclamadas pela Venezuela.

Leia Também: Deputados boicotam início de visita de Macron à Guiana Francesa

Recomendados para si

;
Campo obrigatório