Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 13º MÁX 26º

Postal com 25 anos ajuda-a a encontrar família biológica... na Austrália

A mulher nasceu em 1994, mas foi retirada dos cuidados dos pais, uma vez que eram toxicodependentes. Vivia em Inglaterra.

Postal com 25 anos ajuda-a a encontrar família biológica... na Austrália
Notícias ao Minuto

22:42 - 02/04/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Austrália

Tiffany Sands tinha apenas uma pista sobre a família do seu pai biológico: Um antigo postal enviado do extremo norte da costa de Nova Gales do Sul, na Austrália - muito longe de sua cidade natal, Norwich, na Inglaterra. Mas graças a ele, encontrou a família.

A mulher nasceu em 1994, mas foi retirada dos cuidados dos pais, uma vez que eram toxicodependentes, e colocada numa unidade de acolhimento destinada a bebés que tinham sido expostos a drogas ainda no útero.

"Depois de dois anos num orfanato, fui adotada, mas só descobri a história dos meus pais biológicos quando fiquei mais velha", contou Tiffany, citada pela Australian Broadcasting Corporation.

A mulher conseguiu encontrar a mãe biológica em 2022, mas, nessa altura, o seu pai biológico, Steven, já tinha morrido. A única pista sobre a família biológica paterna foi um postal de há 25 anos enviado de Tweed Heads, na Austrália. "A minha avó biológica materna tinha um postal que Steven guardava e que era da mãe dele, na Austrália, era a única pista que eu tinha", revelou Tiffany.

Após várias tentativas iniciais de encontrar a família do seu pai, a mulher decidiu desistir. No entanto, quando planeava férias na Austrália, o seu companheiro Scott Richardson decidiu 'reacender' a busca em segredo.

"Assim que reservámos os voos para a Austrália, fiquei ansioso para ver o que poderia descobrir sobre a avó dela. Inscrevi-me em alguns sites de genealogia, mas guardei a pesquisa para mim mesmo", contornou.

Depois de não conseguir encontrar nenhuma pista útil, tentei as redes sociais, inscrevendo-se no grupo da comunidade de Tweed Heads no Facebook. "A resposta foi incrível, recebi mensagens a torto e o direito com ofertas óbvias de ajuda", explicou Richardson.

E continuou: "As pessoas bateram à porta da morada do postal para encontrar a avó de Tiffany, outras pesquisaram registos do censos online. A certa altura, soubemos que não estava bem e temíamos o pior".

Depois de finalmente ter localizado a mulher que acreditava ser a tia de Tiffany, mandou-lhe uma mensagem; "Sei que isto é uma surpresa, mas acho que pode ser a tia da minha namorada". Depois de encontrar a tia de Tiffany, Sarah, esta contou-lhe que, afinal, a avó biológica, Margaret, estava viva e bem, a viver na Gold Coast, na Austrália.

O homem decidiu contar tudo à companheira, que foi, de imediato, para Gold Coast para conhecer a sua família. "Conhecer a minha avó foi emocionante e avassalador. Presumo que a minha avó fosse inglesa, mas descobri que é australiana. Conheceu o meu avô em Norwich [em 1972], engravidou do meu pai Steven e ficou lá oito anos", contou.

Margaret e Steven voltaram para a Austrália no final dos anos 70, mas quando Steven tinha 12 anos, voltou para a Inglaterra para morar com o pai. Margaret acabou por nunca mais ver o filho.

Tiffany diz que ter reconetado com a família australiana foi o ponto mais alto da sua viagem. "Estarmos juntas foi relaxado e confortável. Foi um momento perfeito".

"Agora que sei que sou um quarto australiana e que tenho família aqui, definitivamente consideraria morar aqui", rematou.

Leia também: Austrália destina mais de 603 milhões para produção de painéis solares

Recomendados para si

;
Campo obrigatório