Meteorologia

  • 17 ABRIL 2024
Tempo
22º
MIN 14º MÁX 28º

EUA focados em impedir transferência de armas para a Rússia

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, disse hoje que os Estados Unidos estão a trabalhar para impedir a transferência de armas e equipamento para a Rússia, em particular do Irão e da Coreia do Norte.

EUA focados em impedir transferência de armas para a Rússia
Notícias ao Minuto

18:57 - 02/04/24 por Lusa

Mundo Antony Blinken

"No que diz respeito aos mísseis do Irão que chegam à Rússia, estamos a trabalhar em conjunto para tentar interromper e penalizar qualquer fornecimento deste tipo, seja do Irão, da Coreia do Norte ou de qualquer outro país, incluindo a China", afirmou.

Para Blinken -- que participou numa conferência de imprensa em Paris ao lado do chefe da diplomacia francesa, Stéphane Séjourné -- "não se trata apenas de uma ameaça para a Ucrânia", mas de "uma ameaça para a segurança europeia no seu conjunto".

A questão das transferências de armas para a Rússia será abordada numa reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO em Bruxelas, segundo o chefe da diplomacia dos Estados Unidos, que se deslocará na quarta-feira para a Bélgica.

Questionados sobre a perspetiva de adesão da Ucrânia à NATO, Stéphane Séjourné e Antony Blinken referiram-se à comunicação feita em Vilnius, em julho passado, onde se falou da adesão do país sem definir uma data.

"Os Estados-membros estão empenhados em apoiar as reformas da Ucrânia na via da integração na NATO, como é óbvio", disse Séjourné, referindo que nos próximos dias será confirmada "a unidade dos países da NATO em torno desta fórmula, que deverá continuar a ser a mesma de Vilnius".

Em resposta, Blinken afirmou que "tal como os aliados disseram em Vilnius, a Ucrânia será membro da NATO" e que era necessário "ter uma rota muito boa e muito clara para chegar a esta conclusão".

"A cimeira da NATO e o 75º aniversário serão muito centrados, de uma forma muito concreta, na forma de estabelecer essa rota", disse Blinken.

Durante a conferência, os dois altos diplomatas recordaram a necessidade de um "cessar-fogo imediato" em Gaza, com o secretário de Estado norte-americano a pedir a Israel uma investigação sobre o ataque que causou a morte de sete funcionários da organização Cozinha Central Mundial (WCK) em Gaza.

Leia Também: EUA pedem investigação a ataque a trabalhadores humanitários em Gaza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório