Meteorologia

  • 16 JUNHO 2024
Tempo
24º
MIN 16º MÁX 24º

França oferece cooperação à Rússia após ataque em Moscovo

A França ofereceu "cooperação reforçada" à Rússia para combater o grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI), que reivindicou o atentado em Moscovo na sexta-feira e terá feito "várias tentativas" de ataques em solo francês, afirmou hoje o Presidente, Emmanuel Macron.

França oferece cooperação à Rússia após ataque em Moscovo
Notícias ao Minuto

13:04 - 25/03/24 por Lusa

Mundo Rússia

O país, que elevou ao nível máximo o plano de segurança nacional, "ofereceu aos serviços russos", tal como a outros parceiros na região, "uma cooperação reforçada".

"Devemos evitar qualquer instrumentalização ou distorção, mas ser exigentes e eficazes. É com esse espírito que estamos a avançar e espero que a Rússia faça o mesmo", disse o chefe de Estado à chegada ao departamento francês da Guiana, enquanto o seu homólogo russo Vladimir Putin apontou o dedo à Ucrânia.

O Presidente francês afirmou que "seria cínico e contraproducente para a própria Rússia e para a segurança dos seus cidadãos utilizar este contexto para tentar virá-lo contra a Ucrânia".

Questionado sobre a possibilidade de discutir este assunto diretamente com o seu homólogo russo, Macron respondeu que "numa primeira fase", os contactos terão lugar a nível "técnico e ministerial".

Durante uma reunião hoje no Palácio do Eliseu, o executivo francês afirmou que "este grupo em particular, que aparentemente está envolvido neste ataque", esteve implicado em "várias tentativas" de ataque terrorista em França.

"E assim, dadas as suas ramificações e intenções, como medida de precaução, mas com elementos credíveis e sólidos", foi elevado para o seu nível máximo o plano de segurança nacional, que tinha sido reduzido em janeiro para o nível 2 ("segurança reforçada -- risco de atentado"), disse o chefe de Estado.

O grupo 'jihadista' afegão filiado do grupo Estado Islâmico em Khorasan (EI-K) é o principal suspeito do ataque de Moscovo, de acordo com especialistas em terrorismo mundial e com os serviços secretos franceses.

De acordo com os últimos dados oficiais, o atentado na Crocus City Hall, a 20 quilómetros do centro de Moscovo, causou pelo menos 137 mortos e 182 feridos, tendo os quatro presumíveis autores do ataque sido acusados domingo de terrorismo, crime punível com prisão perpétua.

Leia Também: Ameaça de bomba em hospital de Moscovo obriga à retirada de 900 doentes

Recomendados para si

;
Campo obrigatório