Meteorologia

  • 22 JULHO 2024
Tempo
34º
MIN 18º MÁX 37º

Le Pen e Salvini contra 2º mandato de Von der Leyen na Comissão Europeia

A líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, assegurou hoje que os seus aliados europeus, entre os quais a Liga de Matteo Salvini, lutarão para impedir que Ursula von der Leyen continue à frente da Comissão Europeia.

Le Pen e Salvini contra 2º mandato de Von der Leyen na Comissão Europeia
Notícias ao Minuto

17:50 - 23/03/24 por Lusa

Mundo Comissão Europeia

"Lutaremos com todas as nossas forças para impedir um segundo mandato de Von der Leyen", disse Marine Le Pen numa mensagem de vídeo, citada pela agência Efe, direcionada à convenção do grupo Identidade e Democracia (ID), do qual faz parte o português Chega, representado por André Ventura.

A mensagem da líder nacionalista francesa incluiu críticas à atual primeira-ministra italiana Giorgia Meloni, também de direita radical, mas cujo partido está integrado no grupo dos Conservadores e Reformistas Europeus.

"Uma mensagem para Giorgia [Meloni]: Apoiará ou não um segundo mandato de Von der Leyen? Eu creio que sim", afiançou Marine Le Pen, aliada de Matteo Salvini, vice-presidente do Governo italiano e líder da Liga.

Dirigindo-se diretamente à chefe do Governo italiano, a líder da extrema-direita francesa acrescentou: "Deves a verdade aos italianos, tens de decidir o que farás. Na direita, o único candidato que se oporá a Von der Leyen é Matteo Salvini".

O grupo parlamentar europeu ID é um dos dois em que se encontram divididos a extrema-direita e os nacionalistas na UE, juntamente com os Conservadores e Reformistas Europeus, liderados por Meloni.

"Marine pergunta se os votos italianos estarão dispostos a apoiar uma repetição desta Comissão. Digo-o tranquilamente: os eleitores que elegem a Liga nunca elegerão um mandato com Von der Leyen e socialistas", disse Matteo Salvini.

Apesar da sua posição, o líder da Liga - um dos três partidos da coligação governamental italiana, juntamente com os Fratelli d'Italia de Meloni e os conservadores do Forza Italia - enquadrou as suas declarações.

"O Governo prosseguirá até 2027, tentam dividir-nos, mas não o conseguirão. Em Giorgia Meloni encontrei uma amiga. Claro que entre amigos pode haver diferentes pontos de vista", disse Salvini, que nos últimos dias protagonizou uma polémica ao justificar a vitória eleitoral de Vladimir Putin na Rússia.

Salvini acabou por atacar o presidente francês Emmanuel Macron, que classificou de "belicista" e "um perigo" para a Europa: "Não quero deixar aos meus filhos um continente pronto a entrar na Terceira Guerra Mundial".

O presidente do português Chega, André Ventura, citado pela agência Efe, recordou o seu recente resultado eleitoral em Portugal, falando agora numa "batalha a travar entre o bem e o mal" no fórum onde marcaram presença Le Pen e Salvini.

"E agora vamos a caminho de ganhar as eleições europeias. Os nossos valores estão em jogo", disse o deputado português, defendendo que "a Europa é um continente cristão e deve continuar a sê-lo".

Leia Também: Von der Leyen e Charles Michel condenam ataque em Moscovo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório