Meteorologia

  • 25 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 25º

Timor reitera posição de ligar gasoduto do Greater Sunrise à costa sul

O primeiro-ministro de Timor-Leste, Xanana Gusmão, reiterou a posição timorense de estabelecer um gasoduto do Greater Sunrise para a costa sul para desenvolver a indústria petrolífera e assegurar benefícios justos para o país, referiu hoje o Governo timorense.

Timor reitera posição de ligar gasoduto do Greater Sunrise à costa sul
Notícias ao Minuto

10:36 - 07/03/24 por Lusa

Mundo Xanana Gusmão

Xanana Gusmão deslocou-se a Melbourne para participar na cimeira especial entre a Austrália e a Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), organização a que Timor-Leste prepara o seu processo de adesão, que decorreu entre segunda e quarta-feira.

Durante a sua estada em Melbourne, Xanana Gusmão reuniu-se, na quarta-feira, com a presidente do conselho de administração da empresa petrolífera australiana Woodside, Meg O'Neill, para discutir "questões relacionadas com o processo de desenvolvimento do projeto estratégico do campo petrolífero Greater Sunrise".

No encontro, Xanana Gusmão e Meg O'Neill "conversaram sobre os estudos de viabilidade relativos ao desenvolvimento do Greater Sunrise, bem como sobre o processo de negociação com a Austrália sobre o conceito de desenvolvimento dos recursos", salientou o Governo.

A Woodside está a realizar um estudo sobre a viabilidade do projeto, que deve estar concluído ainda este ano.

Localizado a 150 quilómetros de Timor-Leste e a 450 quilómetros de Darwin, o projeto Greater Sunrise tem estado envolto num impasse, com Díli a defender a construção de um gasoduto para o sul do país e a Woodside, segunda maior parceira do consórcio, a inclinar-se para uma ligação à unidade já existente em Darwin.

O consórcio é constituído pela timorense Timor Gap (56,56%), a operadora Woodside Energy (33,44%) e a Osaca Gás Australia (10,00%).

O acordo de fronteira marítima permanente entre Timor-Leste e a Austrália determina que o Greater Sunrise, um recurso partilhado, localizado a 150 quilómetros de Timor-Leste e a 450 quilómetros de Darwin, terá de ser dividido, com 70% das receitas para Timor-Leste no caso de um gasoduto para o país, ou 80% se o processamento for em Darwin.

Em Melbourne, Xanana Gusmão reuniu-se também com o primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, e com o seu homólogo da Nova Zelândia, Christopher Luxon, com quem abordou o fortalecimento da cooperação bilateral.

Sobre a cimeira, que assinalou os 50 anos parceria entre a Austrália e a ASEAN, Xanana Gusmão salientou a "importância do evento para uma reflexão conjunta sobre o que já foi alcançado e o que se pretende para o futuro".

Leia Também: Organização timorense alerta Governo para descontentamento da população

Recomendados para si

;
Campo obrigatório