Meteorologia

  • 22 ABRIL 2024
Tempo
20º
MIN 14º MÁX 27º

Filipinas acusa China de novo incidente com navios em águas sob disputa

O Governo filipino convocou hoje o representante da China em Manila para denunciar ações de Pequim que descreveu como agressivas, após um incidente no Mar do Sul da China que provocou quatro feridos.

Filipinas acusa China de novo incidente com navios em águas sob disputa
Notícias ao Minuto

10:56 - 05/03/24 por Lusa

Mundo Filipinas

Um representante filipino disse ao número dois da embaixada que considerava inaceitável o incidente, em que a guarda costeira chinesa, na versão de Manila, abalroou barcos filipinos e usou canhões de água, noticiou a agência francesa AFP.

Um porta-voz da Marinha disse à imprensa filipina que quatro marinheiros ficaram feridos quando a embarcação da guarda costeira foi atingida por um canhão de água do navio chinês.

O chefe do Estado-Maior da Guarda Costeira das Filipinas, Jay Tarriela, acusou os navios chineses de efetuarem "manobras perigosas" e "ações imprudentes e ilegais" que resultaram no incidente, segundo a agência espanhola EFE.

Tarriela disse que a colisão ocorreu quando três navios da guarda costeira foram destacados hoje de manhã para apoiar o abastecimento das forças armadas filipinas.

"A meio da operação, os navios da Guarda Costeira das Filipinas foram confrontados com manobras perigosas e com o bloqueio da Guarda Costeira chinesa", de que resultou a colisão, disse Tarriela.

O oficial filipino divulgou nas redes sociais dois vídeos e uma fotografia do incidente, em que se vê os lados das duas embarcações a colidir durante alguns segundos.

A colisão causou "danos menores à embarcação filipina", acrescentou.

Na versão de Pequim, a guarda costeira atuou contra a "intrusão ilegal" de navios filipinos nas águas adjacentes ao Segundo Atol Thomas, conhecido nas Filipinas como Ayungin e na China como Ren'ai.

O atol pertence ao arquipélago Spratly, sobre o qual Pequim e Manila têm reivindicações territoriais.

A porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Mao Ning, declarou que a China transmitiu um "forte protesto" a Manila sobre o incidente, defendendo simultaneamente o comportamento da guarda costeira chinesa.

A embaixadora dos Estados em Manila, MaryKay Carlson, também se pronunciou sobre o incidente, reafirmando nas redes sociais o apoio às Filipinas e aos defensores do direito internacional "em prol de um Indo-Pacífico livre e aberto".

A zona tem sido palco de incidentes entre navios dos dois países, incluindo algumas colisões.

No final de fevereiro, Manila acusou a guarda costeira chinesa de bloquear a passagem de um navio que transportava combustível para pescadores perto do atol.

O novo incidente ocorre quando a China está a realizar a sessão anual do Congresso Nacional do Povo, na qual anunciou hoje um aumento de 7,2% nas despesas com a Defesa este ano.

Leia Também: Incidente com Filipinas? Ações da guarda costeira foram "razoáveis"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório