Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 26º

Somália é o novo país membro da Comunidade da África Oriental

A Somália concluiu hoje o seu processo de adesão à Comunidade da África Oriental (EAC), depois de ter sido admitida em 24 de novembro como o oitavo membro do bloco regional.

Somália é o novo país membro da Comunidade da África Oriental
Notícias ao Minuto

11:46 - 04/03/24 por Lusa

Mundo África

"A República Federal da Somália é agora oficialmente um membro de pleno direito da Comunidade da África Oriental depois de ter depositado o seu instrumento de ratificação (do tratado de adesão) junto do secretário-geral (...) na sede da EAC em Arusha, na Tanzânia", declarou a organização na rede social X (antigo Twitter).

Este último passo na integração da Somália foi dado pelo ministro do Comércio e da Indústria da Somália, Jibril Abdirashid Haji Abdi, que se deslocou à cidade tanzaniana para entregar o documento ao secretário-geral da EAC, Peter Mathuki.

O evento teve lugar semanas depois de o parlamento somali ter ratificado o tratado de adesão, em 10 de fevereiro, com 148 votos a favor, um contra e uma abstenção.

"Isto marca o início de uma nova era de integração regional, cooperação e desenvolvimento. Juntos somos fortes", afirmou na altura Mohamed Osman, conselheiro económico nacional do Presidente da Somália, Hassan Sheikh Mohamud.

A Somália foi admitida como membro do grupo na Cimeira dos chefes de Estado e de Governo da EAC, realizada em Arusha, em 24 de novembro.

Antes da adesão da Somália, a República Democrática do Congo (RDCongo) foi o último Estado a aderir ao bloco, que inclui também o Uganda, a Tanzânia, o Ruanda, o Burundi, o Quénia e o Sudão do Sul, em 2022.

A EAC foi fundada em 2000 e, em 2010, lançou o seu próprio mercado comum de bens, trabalho e capital na região, com o objetivo de criar uma moeda comum e, em última análise, uma federação política.

A admissão da Somália, que tem uma população de cerca de 17 milhões de habitantes, alarga o mercado da EAC a mais de 300 milhões de pessoas.

Além disso, a Somália acrescenta mais de 3.000 quilómetros de costa ao bloco, tendo a mais longa linha costeira de qualquer país africano continental.

No entanto, a Somália tem estado num estado de guerra e caos desde 1991, quando o ditador Mohamed Siad Barre foi derrubado, deixando o país sem um Governo efetivo e nas mãos de milícias islâmicas e senhores da guerra.

O Governo da Somália enfrenta atualmente uma insurreição do grupo extremista Al Shabab.

O grupo, afiliado desde 2012 à Al-Qaida, efetua frequentemente ataques em Mogadíscio e noutras partes do país para derrubar o Governo central - apoiado pela comunidade internacional - e estabelecer um Estado islâmico ultraconservador.

O grupo controla as zonas rurais do centro e do sul da Somália e ataca também países vizinhos como o Quénia e a Etiópia.

Leia Também: Forças navais turcas vão defender as águas da Somália durante dez anos

Recomendados para si

;
Campo obrigatório