Meteorologia

  • 23 MAIO 2024
Tempo
18º
MIN 12º MÁX 23º

Fretilin alerta para necessidade de criar emprego para jovens de Timor

A Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) alertou hoje para a necessidade de criar emprego para os jovens de Timor-Leste, que representam a maioria da população do país, e criticou o Governo pela ausência de investimento na juventude.

Fretilin alerta para necessidade de criar emprego para jovens de Timor
Notícias ao Minuto

09:14 - 04/03/24 por Lusa

Mundo Timor

"Infelizmente, não vemos nenhum programa ou medidas concretas do Governo no sentido de criar espaços e oportunidades para desenvolver as potencialidades e capacidades [dos jovens], assim como ajudar a juventude a participar no processo de desenvolvimento", afirmou a deputada da Fretilin, Nuri Alkatiri.

Nuri Alkatiri falava no parlamento nacional durante a apresentação de uma declaração política sobre desemprego jovem.

Segundo a deputada timorense, 74% da população do país, que ronda os 1,3 milhões de habitantes, tem idade inferior a 35 anos.

"Isso significa que a população de Timor-Leste é composta maioritariamente por jovens e crianças. Um número que traz esperança, mas também responsabilidade de investir em política e programas que coloquem os jovens no centro e como protagonistas do processo de desenvolvimento", disse.

Salientando que o desemprego entre os jovens é preocupante, a deputada alerta que Timor-Leste está a desperdiçar os seus recursos.

"É urgente e prioritário que o Estado crie condições para garantir emprego aos jovens, que lhes permita sobreviver e viver com dignidade no seu próprio país", afirmou a deputada timorense.

A deputada questionou também o Governo sobre as "medidas concretas" para criar emprego para jovens e para criar os 50.000 postos de trabalho prometidos, salientando que a única medida que encontrou foram os "programas que levam jovens para trabalhar em outros países".

"O Governo gastou mais de 16 mil milhões de dólares nos últimos 10 anos, mas os jovens continuam a enfrentar uma realidade difícil. Se não prestarmos atenção urgente e não investirmos na criação de emprego no nosso país, o problema poderá multiplicar-se nos próximos cinco ou 10 anos", afirmou Nuri Alkatiri.

Dados do Banco Mundial, divulgados em novembro de 2023, indicam que cerca de 20% dos jovens timorense, com idades entre os 15 e os 24 anos, não estudam, nem trabalham devido à falta de educação, limitações na prestação da saúde e ineficácia da proteção social.

Leia Também: Reino Unido reabre embaixada em Timor e reforça relações

Recomendados para si

;
Campo obrigatório