Meteorologia

  • 19 ABRIL 2024
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 21º

Hutis em contacto com UE para garantir "passagem segura" no mar Vermelho

Os rebeldes Huthis do Iémen afirmaram hoje ter estabelecido contactos com a União Europeia (UE) para garantir a "passagem segura" de navios comerciais no mar Vermelho após Bruxelas ter anunciado uma missão para defender a sua navegação nessa zona.

Hutis em contacto com UE para garantir "passagem segura" no mar Vermelho
Notícias ao Minuto

17:32 - 21/02/24 por Lusa

Mundo Hutis

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros do movimento xiita iemenita, Husein al Ezzi, disse hoje em conferência de imprensa que "foi estabelecido um contacto construtivo entre Saná e a UE", após os europeus terem aprovado uma missão defensiva no mar Vermelho para escoltar os navios mercantes.

Segundo Al Ezzi, a iniciativa partiu de Bruxelas, que "forneceu suficientes esclarecimentos a Saná e confirmou inequivocamente que a UE não participa de qualquer forma na coligação liderada pelos Estados Unidos e Reino Unido".

De acordo com Al Ezzi, os Huthis reconheceram o pretexto fornecido para a operação, que segundo a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, se caracteriza pelo seu caráter defensivo com o objetivo de escoltar os navios mercantes que naveguem no Golfo Pérsico, Golfo de Omã, Golfo de Áden e no mar Vermelho, e derrubar os possíveis mísseis ou 'drones' que possam ser lançados pelos Huthis.

A UE "explicou que a sua missão não tem o Iémen como objetivo militar e que a missão operacional foi formada a pedido das empresas de transportes dos países da União Europeia que se queixavam das dificuldades para atravessar o estreito de Bab el Mandeb", declarou o responsável Huthi.

Contactados pela agência noticiosa Efe, responsáveis europeus na região optaram por não responder.

A operação 'Aspides' da EUNAVFOR -- a Força naval europeia -- foi desencadeada em 19 de fevereiro pela UE sob comando grego.

"Concordámos [com a UE] em manter uma comunicação constante a contínua, e fomentar a cooperação e a troca de informação para facilitar a passagem dos barcos", acrescentou Al Ezzi, ao assinalar que o Governo de Saná estabeleceu um centro específico para garantir esta coordenação.

Segundo dados fornecidos pela organização xiita, pelo menos 5.061 cargueiros cruzaram Bab el Mandeb desde o início dos ataques dos Huthis, em novembro passado, contra navios nos mares Vermelho e Arábico, e 283 embarcações passaram durante esta semana.

Os Huthis, apoiados pelo Irão e que controlam a capital iemenita, Saná, e vastas zonas do norte e oeste do Iémen, lançaram dezenas de ataques contra território de Israel e contra navios relacionados com Israel, ou que se dirigiam a portos israelitas, e prometeram prosseguir estas ações enquanto o Exército judaico prosseguir a sua ofensiva em Gaza.

Os rebeldes iemenitas também ameaçaram atacar navios norte-americanos e britânicos que se encontram na zona, em resposta aos bombardeamentos das últimas semanas pelos dois países ocidentais contra o Iémen, que na perspetiva de Washington e Londres procuram impedir as operações dos rebeldes e garantir a liberdade de navegação na região.

A tensão na zona motivou que as principais empresas de navegação continuem a ajustar as suas rotas para evitar a passagem nesta via, por onde transita 8% do comércio mundial de cereais, 12% do comércio de petróleo e 8% do comércio mundial de gás liquefeito.

Os rebeldes iemenitas também já atacaram navios norte-americanos e britânicos que se encontram na zona, em resposta aos bombardeamentos das últimas semanas pelos dois países ocidentais contra o Iémen, que na perspetiva de Washington e Londres procuram impedir as operações dos rebeldes e garantir a liberdade de navegação na região.

Leia Também: França interceta 2 'drones' Hutis na primeira intervenção no mar Vermelho

Recomendados para si

;
Campo obrigatório