Meteorologia

  • 15 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 14º MÁX 24º

Polícia usa gás lacrimogéneo contra marcha de agricultores indianos

A polícia da Índia usou hoje gás lacrimogéneo contra agricultores, em protesto há uma semana, que retomaram uma enorme marcha em direção à capital, Nova Deli, apesar do Governo ter reaberto as negociações.

Polícia usa gás lacrimogéneo contra marcha de agricultores indianos
Notícias ao Minuto

08:02 - 21/02/24 por Lusa

Mundo Índia

A comissão de negociação dos agricultores rejeitou na segunda-feira à noite um plano apresentado pelas autoridades, que garantia preços mínimos de venda à produção para um conjunto de culturas, incluindo leguminosas, milho e algodão, durante cinco anos.

A proposta feita pelas autoridades no domingo "não era do interesse dos agricultores", disse Jagjit Singh Dallewal, um dos líderes da comissão, à agência de notícias Press Trust of India.

Os agricultores -- dezenas de milhares dos quais acamparam a cerca de 200 quilómetros da capital enquanto aguardavam a oferta do Governo --retomaram hoje a marcha, muitos dos quais em tratores.

"Apelamos ao Governo para que resolva os nossos problemas ou remova as barricadas e nos permita seguir para [Nova] Deli para protestar pacificamente", tinha avisado o dirigente.

Milhares de agricultores iniciaram a 13 de fevereiro uma marcha maciça a partir dos estados de Haryana e Punjab, este último conhecido como o "celeiro da Índia", para chegar a Nova Deli e apresentar as reivindicações.

No entanto, o protesto foi travado pelas autoridades desde o primeiro dia em ambos os estados indianos.

Em Haryana registaram-se confrontos entre os manifestantes e as autoridades, que recorreram a barreiras e gás lacrimogéneo para dispersar a multidão.

Organizados por vários sindicatos, os agricultores exigem, entre outras medidas, que os preços mínimos de venda para todas as culturas sejam garantidos por lei para proteger o valor das flutuações do mercado.

A introdução de preços mínimos foi uma das principais reivindicações dos protestos dos agricultores entre 2020 e 2021, quando milhares de agricultores acamparam durante quase 15 meses nas fronteiras de Nova Deli em resposta a uma reforma agrária promovida pelo Governo indiano.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, teve de ceder à pressão e revogar a lei, que, para os agricultores, dava demasiado poder às grandes empresas ao desregulamentar o mercado.

Agora, os sindicatos consideram que, passados dois anos, o Governo não satisfez todas as exigências apresentadas.

Leia Também: Lisboa. Rotura em conduta de água condiciona trânsito na Avenida da Índia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório