Meteorologia

  • 22 ABRIL 2024
Tempo
24º
MIN 14º MÁX 27º

EUA sancionam empresas por violação do limite de preço do petróleo russo

Os Estados Unidos (EUA) sancionaram quinta-feira quatro empresas sediadas nos Emirados Árabes Unidos (EAU) e na Libéria por violarem o limite internacional do preço do petróleo originário ou exportado da Rússia.

EUA sancionam empresas por violação do limite de preço do petróleo russo
Notícias ao Minuto

06:34 - 09/02/24 por Lusa

Mundo EUA

Segundo avança a EFE, as sanções, anunciadas pelo Gabinete de Controlo de Ativos (OFAC), subordinado ao Departamento do Tesouro dos EUA, afetam as empresas sediadas nos EAU Zeenit, Talassa e Oil Tankers, bem como a NS Leader Shipping, com sede na Libéria.

As autoridades norte-americanas sancionaram também o petroleiro NS Leader, propriedade da empresa de navegação NS Leader Shipping, por transportar petróleo bruto russo que foi vendido em novembro de 2023 a 80 dólares por barril (cerca de 74 euros), quando o limite imposto pela Coligação de Limite de Preço era de 60 dólares (cerca de 56 euros).

A coligação formada pelo G7 (Alemanha, Canadá, EUA, França, Itália, Japão e Reino Unido), a União Europeia (UE) e a Austrália concordou em proibir a importação de petróleo russo e seus derivados, bem como restringir uma série de serviços relacionados com o seu transporte marítimo, a menos que o crude tenha sido comprado e vendido a um preço igual ou inferior aos limites estabelecidos por aqueles países.

O Departamento do Tesouro dos EUA afirmou hoje, em comunicado, que a Oil Tankers SFC gere navios petroleiros que são efetivamente propriedade do Governo russo, através da Sovcomflot, a empresa estatal russa de transporte marítimo.

Já a companhia marítima liberiana gere outros cinco petroleiros sancionados pelos EUA por exportarem petróleo russo sem respeitar o preço máximo de 60 dólares por barril: Ligovsky Prospect, Kazan, NS Century, NS Champion e Viktor Bakaev.

As sanções anunciadas significam que as propriedades e ativos que estas empresas possuem em território norte-americano são bloqueadas e os americanos estão também proibidos de realizar transações com aquelas empresas.

É a segunda vez este ano que o Departamento do Tesouro sanciona empresas por violarem o limite de preço.

Também hoje, a OFAC anunciou que a partir de 01 de março vai proibir a importação de diamantes não industriais extraídos na Rússia, bem como de joias com diamantes e diamantes não registados da Federação Russa.

Leia Também: Petrobras vai explorar 3 blocos de petróleo em São Tomé e Príncipe

Recomendados para si

;
Campo obrigatório