Meteorologia

  • 21 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 26º

Limite do aquecimento? Ultrapassado pela 1.ª vez em 12 meses consecutivos

O mundo ultrapassou pela primeira vez durante 12 meses consecutivos o limite do aquecimento de 1,5ºC face à era pré-industrial, confirmou hoje o programa europeu de observação da Terra Copernicus.

Limite do aquecimento? Ultrapassado pela 1.ª vez em 12 meses consecutivos
Notícias ao Minuto

16:54 - 08/02/24 por Lusa

Mundo Clima

De acordo com os dados, de fevereiro de 2023 a janeiro de 2024 a temperatura média do ar à superfície do planeta foi 1,52ºC acima da do período pré-industrial (1850-1900).

Em 09 de janeiro, o serviço de monitorização das alterações climáticas do Copernicus já tinha estimado que a temperatura média global podia exceder 1,5ºC a da era pré-industrial num período de 12 meses a acabar em janeiro ou fevereiro de 2024.

O facto de a temperatura média do ar no mundo ter ultrapassado o limite do aquecimento não significa que a meta estabelecida no Acordo de Paris de 2015 - de limitar o aumento da temperatura média global em 1,5ºC em relação ao nível pré-industrial - tenha ficado por cumprir.

Na verdade, será necessário que o limite de 1,5ºC seja ultrapassado de forma estável durante várias décadas para que o acordo climático de Paris seja, efetivamente, um fracasso.

Segundo o Copernicus, janeiro de 2024 foi o mais quente para este mês a nível mundial, ao registar uma temperatura média do ar de 13,14ºC. Foi também o oitavo mês consecutivo em que o recorde mensal de calor foi batido.

A temperatura média da superfície dos oceanos atingiu em janeiro 20,97ºC, o segundo valor mais alto depois de agosto de 2023.

Em meados do mês passado, a Organização Meteorológica Mundial avisou que o ano de 2024 pode bater o recorde de calor ocorrido em 2023 devido ao fenómeno El Niño - aquecimento anómalo das águas superficiais do oceano Pacífico, predominantemente na sua faixa equatorial, afetando o clima global e a circulação geral da atmosfera.

Cientistas da agência norte-americana de observação oceânica e atmosférica (NOAA, na sigla inglesa) estimaram que há uma probabilidade em cada três de que 2024 seja mais quente do que 2023.

Para a organização internacional de conservação da natureza WWF, o limite do aquecimento global de 1,5ºC será superado de forma duradoura na década de 2030 se não houver "uma redução imediata e profunda das emissões" de gases poluentes "em todos os setores e regiões".

Leia Também: Limite de 1,5°C de aquecimento global poupa um bilião na UE até 2030

Recomendados para si

;
Campo obrigatório