Meteorologia

  • 05 MARçO 2024
Tempo
15º
MIN 8º MÁX 16º

Opositor russo Boris Nadezhdin apresentou candidatura contra Putin

O político russo Boris Nadezhdin, opositor à agressão na Ucrânia, apresentou hoje as assinaturas de apoio necessárias para registar a candidatura às eleições presidenciais na Rússia, de 15 a 17 de março.

Notícias ao Minuto

10:33 - 31/01/24 por Lusa

Mundo Rússia

"As assinaturas foram entregues", disse um membro da Comissão Eleitoral, de acordo com um jornalista da France Presse no local.

Nadezhdin, que defende o "fim" da ofensiva na Ucrânia e que condena as tendências autoritárias de Vladimir Putin, atraiu um interesse inesperado nos últimos dias, com dezenas de milhares de russos a juntarem-se para apoiar a candidatura de oposição.

"Conseguimos!", afirmou o candidato oposicionista no canal de mensagens digital Telegram que divulgou também imagens que mostram as caixas com as assinaturas recolhidas desde o dia 08 de janeiro.

O candidato liberal, de 60 anos, recolheu mais de 200 mil assinaturas, o dobro do mínimo exigido (100 mil) para registar a candidatura presidencial.

Nadezhdin conseguiu apresentar as assinaturas depois de ter recebido o apoio ???????da oposição na prisão e no exílio tendo prometido "parar a campanha militar da Rússia na Ucrânia", o primeiro ponto do manifesto eleitoral.

Boris Nadezhdin considerou o início da guerra na Ucrânia um "erro fatal" e afirmou que pretende tornar-se presidente para tornar a Rússia "grande, pacífica e livre", embora tenha afirmado que não está disposto a devolver a Kiev os territórios anexados pelo Exército russo.

A campanha de recolha de assinaturas tornou-se a primeira manifestação legal e maciça de repulsa contra a guerra desde o início do conflito, em fevereiro de 2022.

No entanto, analistas e opositores acreditam que Nadezhdin tem poucas hipóteses de ser registado, uma vez que a administração presidencial teme que venha a unir todos os insatisfeitos não só com a guerra, mas também com a deriva autoritária do Kremlin.

A presidente da Comissão Central de Eleições (CEC), Ela Pamfilova, já rejeitou no passado o registo de candidatos da oposição críticos do Kremlin por motivos infundados.

Na segunda-feira, a CEC registou a candidatura do Presidente russo Vladimir Putin, que, como independente, teve de apresentar 300 mil assinaturas.

Embora tenha garantido publicamente que não voltaria a concorrer, Putin, 71 anos, alterou a Constituição em 2020 para permitir reeleição, sendo que pode vir a apresentar-se novamente dentro de seis anos e, assim, permanecer no Kremlin até 2036.

De acordo com as sondagens oficiais, Putin deve ganhar a votação com mais votos do que em 2018.

Até agora, a CEC registou quatro candidatos: Putin, o comunista Nikolai Kharitonov, o ultranacionalista Leonid Slutsky e o representante do Novo Povo, Vladislav Davankov.

Leia Também: Banda crítica de Putin detida na Tailândia com medo de ser deportada

Recomendados para si

;
Campo obrigatório