Meteorologia

  • 22 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 14º MÁX 27º

Austrália e Canadá suspendem apoio à UNRWA após acusações de Israel

A Austrália e o Canadá suspenderam hoje o financiamento à agência da ONU para os refugiados palestinianos (UNRWA), na sequência das acusações de Israel de que funcionários poderiam estar envolvidos no ataque do Hamas de 7 de outubro.

Austrália e Canadá suspendem apoio à UNRWA após acusações de Israel
Notícias ao Minuto

10:30 - 27/01/24 por Lusa

Mundo UNRWA

Na sexta-feira, os Estados Unidos anunciaram que iriam "suspender temporariamente" todos os futuros financiamentos à agência da ONU que está no centro da distribuição de ajuda aos civis na Faixa de Gaza, sob fogo dos combates entre Israel e o movimento terrorista palestiniano.

Hoje, a ministra australiana dos Negócios Estrangeiros, Penny Wong, disse estar "profundamente preocupada" com as acusações contra a UNRWA.

"Estamos a discutir com os nossos parceiros e vamos suspender temporariamente o pagamento de financiamentos recentes", escreveu na rede social X.

"Congratulamo-nos com a resposta imediata da UNRLA, incluindo a rescisão de contratos e o anúncio de uma investigação sobre as alegações contra a organização", continuou.

Por seu lado, o ministro canadiano do Desenvolvimento Internacional, Ahmed Hussen, anunciou que "o Canadá suspendeu temporariamente todos os financiamentos adicionais à UNRWLA enquanto procede a uma investigação exaustiva destas acusações".

"O Canadá leva estas acusações extremamente a sério e está a trabalhar em estreita colaboração com a Unrwa e outros doadores nesta questão", escreveu no X.

"Se estas alegações forem comprovadas, o Canadá espera que a UNRWLA tome medidas imediatas contra as pessoas identificadas como tendo estado envolvidas em ataques terroristas do Hamas", escreveu, acrescentando que Otava continua "profundamente preocupada com a crise humanitária em Gaza e continua a apelar a um fluxo rápido, sustentado e desimpedido de ajuda essencial".

A UNRWLA já tinha anunciado na sexta-feira que tinha recebido informações de Israel sobre o "alegado envolvimento de vários dos seus funcionários" no ataque.

"A fim de proteger a capacidade da agência de prestar ajuda humanitária, decidi rescindir imediatamente os contratos destes funcionários e abrir um inquérito", declarou o diretor da agência, Philippe Lazzarini, em comunicado.

"Qualquer funcionário que tenha estado envolvido em atos de terrorismo será responsabilizado, incluindo através de processos judiciais", prometeu.

Por seu lado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros israelita exigiu uma "revisão interna exaustiva das atividades do Hamas e de outras organizações terroristas" no seio da UNRWLA.

Leia Também: Israel. Conselho de Segurança da ONU analisa 4.ª-feira decisão do TIJ

Recomendados para si

;
Campo obrigatório