Meteorologia

  • 20 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 20º

China começa a erguer habitações temporárias após terramoto

Centenas de habitações temporárias de um quarto estavam a ser instaladas hoje no noroeste da China para os sobreviventes de um terramoto que destruiu mais de 14.000 casas e matou pelo menos 135 pessoas, segundo a imprensa estatal.

China começa a erguer habitações temporárias após terramoto
Notícias ao Minuto

11:36 - 21/12/23 por Lusa

Mundo Sismo

Doze pessoas continuam desaparecidas numa área atingida por deslizamentos de terra que cobriram duas aldeias. As equipas de resgate estavam a utilizar escavadoras para escavar um espesso mar de lama que cobriu as estradas e bloqueou a entrada nos edifícios.

A televisão estatal CCTV mostrou imagens de gruas a levantar unidades habitacionais brancas, semelhantes a caixas, e a alinhá-las num campo aberto em Meipo, uma aldeia da província de Gansu. Cerca de 260 tinham sido construídas e esperava-se que o total na aldeia atingisse 500 em nove locais até sexta-feira de manhã.

A chegada das unidades pré-fabricadas foi um sinal de que muitas das mais de 87.000 pessoas reinstaladas após o terramoto de segunda-feira à noite poderão ficar sem casa durante algum tempo. Muitos têm estado a suportar temperaturas muito abaixo de zero em unidades mais frágeis, semelhantes a tendas, com uma cobertura de plástico azul no exterior e um forro de algodão acolchoado no interior.

O número de mortos inclui 113 pessoas em Gansu e outras 22 pessoas na província vizinha de Qinghai. Cerca de 1.000 pessoas ficaram feridas. O terramoto de magnitude 6,2 atingiu uma região montanhosa no lado de Gansu da fronteira entre as duas províncias e a cerca de 1.300 quilómetros a sudoeste de Pequim.

Foram realizados funerais para os mortos, alguns seguindo as tradições muçulmanas de grande parte da população da área afetada.

A lama chegou a atingir três metros de altura em duas aldeias da província de Qinghai, deixando à mostra apenas os telhados de alguns edifícios.

Especialistas citados pela CGTN, o braço internacional da televisão estatal chinesa, disseram que o terramoto liquefez sedimentos subterrâneos na área, onde o lençol freático é relativamente alto. A dada altura, os sedimentos lamacentos irromperam pela superfície e escorreram para as aldeias por uma vala normalmente seca.

A maioria dos terramotos na China ocorre na parte oeste do país, incluindo as províncias de Gansu, Qinghai, Sichuan e Yunnan, bem como a região de Xinjiang e o Tibete. O último terramoto foi o mais mortífero registado no país em nove anos.

Leia Também: Sobe para 135 o número de mortos após sismo no noroeste da China

Recomendados para si

;
Campo obrigatório