Meteorologia

  • 01 MARçO 2024
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 15º

Austrália anuncia plano para reduzir imigração

O governo trabalhista de centro-esquerda da Austrália anunciou hoje um plano para reduzir o número de imigrantes que chegam ao país, face ao descontentamento público devido ao aumento do custo de vida.

Austrália anuncia plano para reduzir imigração
Notícias ao Minuto

07:43 - 11/12/23 por Lusa

Mundo Austrália

Entre as medidas anunciadas estão requisitos mais rigorosos de proficiência na língua inglesa, destinadas a dificultar a entrada no país de estudantes estrangeiros e pessoas com baixas qualificações.

Cerca de meio milhão de imigrantes temporários entraram na Austrália no ano passado, um aumento substancial após anos de encerramento de fronteiras devido à pandemia da Covid-19.

O governo australiano estimou que estas reformas, bem como as tendências de curto prazo, vão permitir reduzir o número de imigrantes para metade em 2024-2025.

"Vamos garantir que recuperaremos o controlo desses números", disse a ministra do Interior, Clare O'Neil, descrevendo partes de uma estratégia com cerca de 100 páginas, consultada pela agência de notícias France-Presse (AFP).

Apesar da taxa de desemprego estar a níveis perto de mínimos históricos (3,7% em outubro), a opinião pública na Austrália está descontente com o aumento dos preços, incluindo no mercado imobiliário.

As rendas em algumas áreas de Sydney e Melbourne aumentaram cerca de 25% no ano passado, algo que tem sido associado ao regresso dos imigrantes, nomeadamente pelo 'think tank' independente Instituto Grattan, que este mês apelou para a reforma do regime de imigração.

Clare O'Neil sublinhou que a imigração é essencial para a prosperidade da Austrália, descrevendo os trabalhadores estrangeiros como aqueles que tornaram o país grande.

Ainda assim, a ministra reconheceu o crescente descontentamento público e prometeu "construir um sistema mais bem planeado em torno de questões essenciais como a habitação".

No domingo, o Governo da Austrália anunciou que ia impor um aumento dramático nos impostos cobrados aos estrangeiros que invistam na compra de casas no país e as deixem vazias.

O executivo trabalhista está de olho nos números da oposição conservadora nas sondagens antes das eleições previstas para 2025, disse à AFP Rachel Stevens, especialista em história da imigração na Universidade Católica Australiana.

"É realmente perigoso e bastante imprudente colocar tudo nas costas dos imigrantes", acrescentou.

O líder da oposição conservadora, Peter Dutton, acusou o governo de ter uma "grande agenda de imigração".

"As nossas cidades estão lotadas, as estradas estão congestionadas, a infraestrutura não consegue acompanhar", disse, no início do mês, sugerindo a redução do número de imigrantes.

Também hoje, o novo primeiro-ministro da Nova Zelândia, Christopher Luxon, anunciou alterações na estratégia de imigração do país, qualificando como "insustentável o atual número" de chegadas de imigrantes.

De acordo com dados oficiais, entre setembro de 2022 e outubro deste ano, 118.800 imigrantes chegaram ao país, que tem 5,3 milhões de habitantes.

Leia Também: Austrália. Apanha carro no seu estacionamento e decide vingar-se

Recomendados para si

;
Campo obrigatório