Meteorologia

  • 21 ABRIL 2024
Tempo
24º
MIN 15º MÁX 24º

COP. China assinala progressos sobre eliminação dos combustíveis fósseis

A China assinalou hoje progressos na discussão sobre a eliminação dos combustíveis fósseis, a três dias do fim da COP28, enquanto os produtores querem abrandar esta ideia.

COP. China assinala progressos sobre eliminação dos combustíveis fósseis
Notícias ao Minuto

16:05 - 09/12/23 por Lusa

Mundo COP28

"Já fizemos progressos neste assunto e penso que teremos mais muito em breve, nos próximos dias", revelou o enviado chinês para o clima, Xie Zhenhua.

A 28.ª Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas de 2023, mais conhecida por COP28, está a decorrer desde 30 de novembro no Dubai, e termina na terça-feira, dia 12.

Este responsável, que também já tinha marcado presença na COP21, defendeu, em conferência de imprensa, no Dubai, que, se este assunto não for resolvido, existem poucas hipóteses de a conferência "ser bem-sucedida".

Cerca de uma centena de países, incluindo os da União Europeia, já manifestaram a intenção de iniciar o fim dos combustíveis fósseis.

A China, que está vinculada ao acordo de Paris, é vista como uma ponte entre os países ricos e os que estão em desenvolvimento.

Xie Zhenhua lembrou que a China e os Estados Unidos assinaram, em novembro, uma declaração conjunta, na qual defendem que as energias renováveis deveriam substituir as fósseis.

O presidente da conferência, o sultão Al Jaber, quer um acordo até terça-feira, no oitavo aniversário do Acordo de Paris, que entrou em vigor em novembro de 2016 e inclui um plano de ação para limitar o aquecimento global.

Numa carta datada de quarta-feira, consultada pela Agência France-Presse (AFP), o secretário-geral da OPEP, Haitham al-Ghais, pediu aos membros da organização que rejeitassem "proativamente qualquer posição contra os combustíveis fósseis".

A carta é dirigida aos 13 membros da OPEP, incluindo o Iraque, o Irão, os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita, que tem estado na vanguarda da oposição ao abandono dos combustíveis fósseis.

A carta é igualmente endereçada aos 10 países associados, como o México, o Azerbaijão, a Rússia e a Malásia, que estarão presentes no Dubai.

Leia Também: Centenas marcham por paz na Palestina e fim dos combustíveis fósseis

Recomendados para si

;
Campo obrigatório