Meteorologia

  • 02 MARçO 2024
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 14º

França chocada com OPEC por rejeitar acordo sobre combustíveis fósseis

A França manifestou-se hoje chocada com o apelo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) aos Estados membros para rejeitarem um acordo sobre combustíveis fósseis na COP28.

França chocada com OPEC por rejeitar acordo sobre combustíveis fósseis
Notícias ao Minuto

11:37 - 09/12/23 por Lusa

Mundo COP28

"Estou chocada com estas declarações da OPEP", reagiu a ministra da Transição Energética, Agnès Pannier-Runacher, citada pela agência francesa AFP.

Pannier-Runacher referiu que os combustíveis fósseis são responsáveis por mais de 75% das emissões de dióxido de carbono (CO2), defendendo que devem ser abandonados para limitar o aquecimento global a 1,5 graus Celsius.

"A posição da OPEP põe em causa os países mais vulneráveis e as populações mais pobres, que são as primeiras vítimas desta situação", afirmou, a partir do Dubai, onde decorre a COP28, sob presidência dos Emirados Árabes Unidos.

A ministra francesa disse contar com a presidência da COP "para não se deixar impressionar" e apresentar um acordo que "afirme um objetivo claro de abandono dos combustíveis fósseis".

A 28.ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2023, mais conhecida por COP28, está a decorrer desde 30 de novembro no Dubai, e termina na terça-feira, dia 12.

Numa carta datada de quarta-feira, consultada pela AFP, o secretário-geral da OPEP, Haitham al-Ghais, pediu aos membros da organização que rejeitassem "proativamente qualquer posição contra os combustíveis fósseis".

A carta é dirigida aos 13 membros da OPEP, incluindo o Iraque, o Irão, os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita, que tem estado na vanguarda da oposição ao abandono dos combustíveis fósseis.

A carta é igualmente endereçada aos 10 países associados, como o México, o Azerbaijão, a Rússia e a Malásia, que estarão presentes no Dubai.

A ministra da Transição Ecológica de Espanha, país que exerce a presidência rotativa do Conselho da União Europeia, já tinha denunciado hoje a posição da OPEP.

"Penso que é bastante repugnante que os países da OPEP se oponham a colocar a fasquia onde ela deve estar" em matéria de clima, afirmou Teresa Ribera, no Dubai.

Ribera acrescentou que a UE se vai alinhar com outros parceiros para garantir "um resultado significativo e produtivo sobre a saída dos combustíveis fósseis".

Leia Também: Setor agrícola brasileiro culpa UE pelo atraso no acordo com o Mercosul

Recomendados para si

;
Campo obrigatório