Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2024
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 20º

Famílias de reféns do Hamas apelam à sua libertação no Congresso dos EUA

Familiares de reféns detidos pelo Hamas em Gaza apelaram hoje para que sejam libertados durante uma concentração no Congresso norte-americano, em Washington, na véspera da votação de um pacote que inclui ajuda militar a Israel.

Famílias de reféns do Hamas apelam à sua libertação no Congresso dos EUA
Notícias ao Minuto

20:56 - 05/12/23 por Lusa

Mundo Israel/Palestina

O presidente da Comissão dos Negócios Estrangeiros da Câmara dos Representantes, Michael McCaul, que presidiu ao evento, lamentou o sofrimento dos familiares dos reféns "presos no inferno em Gaza".

O político republicano congratulou-se com o facto de a trégua de 24 a 30 de novembro ter permitido a saída de 80 reféns.

O Hamas e outras fações palestinianas libertaram 105 reféns (81 israelitas, 23 tailandeses e um filipino) numa troca de prisioneiros com Israel, que libertou 240 palestinianos, na maioria menores e não condenados.

McCaul lamentou que apenas dois dos reféns libertados pelo Hamas pertençam ao grupo com dupla nacionalidade israelita e norte-americana, afirmando que os restantes oito "devem regressar a casa".

Gillian Kaye, madrasta de Sagui Dekel-Chen, um dos norte-americanos que se crê estarem detidos pelo Hamas, disse que a família não tem notícias dele desde o ataque do grupo islamita em Israel, em 07 de outubro.

"Ele é pai de duas lindas raparigas, de 2 e 6 anos. E a minha nora vai ter o seu terceiro filho esta semana", disse Kaye, citada pela agência espanhola EFE.

O Senado vai votar na quarta-feira um pacote de ajuda de 105 mil milhões de dólares (97,3 mil milhões de euros, ao câmbio atual) proposto pela administração do Presidente Joe Biden.

O pacote inclui 14,3 mil milhões de dólares (13,2 mil milhões de euros) para Israel e 61,4 mil milhões de dólares (56,9 mil milhões de euros) para a Ucrânia, bem como rubricas para Taiwan e segurança das fronteiras.

O desacordo entre democratas e republicanos sobre as prioridades em matéria de política externa impediu o Congresso de aprovar a ajuda militar a Israel.

Os republicanos ameaçaram bloquear a aprovação do pacote porque muitos não querem continuar a financiar a Ucrânia e também procuram endurecer a política de fronteiras em troca de um eventual apoio.

Em causa, estão as duas guerras atualmente em curso: na Ucrânia, invadida pela Rússia em 24 de fevereiro de 2022, e na Faixa de Gaza, entre Israel e o Hamas.

Os Estados Unidos têm sido os maiores fornecedores de ajuda à Ucrânia, financeira e em armamento, e são os maiores apoiantes de Israel no conflito do Médio Oriente.

Leia Também: Hamas rejeita novas negociações caso Telavive prossiga ataques em Gaza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório