Meteorologia

  • 03 MARçO 2024
Tempo
15º
MIN 9º MÁX 15º

ONG pede que crianças migrantes sejam protegidas com novo pacto da UE

A organização não-governamental (ONG) Save the Children apelou hoje à inclusão de cláusulas para proteger crianças migrantes no Novo Pacto em matéria de Migração e Asilo da União Europeia (UE), para impedir abusos por parte das autoridades.

ONG pede que crianças migrantes sejam protegidas com novo pacto da UE
Notícias ao Minuto

18:34 - 05/12/23 por Lusa

Mundo Crianças

A Save the Children ("Salvem as Crianças") anunciou hoje uma campanha de sensibilização para os abusos contra menores migrantes na UE, que quer "ações urgentes para priorizar a proteção, dignidade, direitos humanos, reunificação familiar, e integração com sucesso destas crianças vulneráveis", dá conta um comunicado divulgado pela ONG.

A ação de protesto e sensibilização realiza-se a dois dias do "Trílogo" - reunião de representantes das três principais instituições envolvidas no processo decisório europeu, o Parlamento Europeu, a Comissão Europeia e o Conselho da UE - sobre importantes partes do pacote legislativo sobre migrações, na quinta-feira.

"A informação mais recente revela que uma em cada quatro pessoas a chegar à Europa são crianças que estão a fugir de conflitos, perseguições, fome, casamentos forçados e pobreza extrema. A realidade diária destas crianças contrasta com uma infância habitual. À medida que iniciam uma perigosa viagem até à segurança, as crianças deparam-se com violência e abusos, em particular nas fronteiras europeias", acrescentou a ONG na nota.

Hoje de manhã, a comissária europeia para os Assuntos Internos, Ylva Johansson, rejeitou ser impossível aprovar o pacote legislativo para as migrações durante o "Trílogo".

"Participei em todos, é óbvio que há desafios, e posições que não estão alinhadas, mas o ambiente é construtivo, e acho que vamos chegar a um acordo. Há obstáculos e vai haver debates, mas vamos conseguir", comentou.

Leia Também: Crise climática aumenta a probabilidade de casamentos infantis, diz ONG

Recomendados para si

;
Campo obrigatório