Meteorologia

  • 03 MARçO 2024
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 16º

Negociadores israelitas deixam Qatar perante "impasse" sobre nova trégua

Os negociadores israelitas em conversações no Qatar sobre uma nova trégua com o Hamas na Faixa de Gaza regressaram a Israel, face a "um impasse" nas negociações, anunciou hoje o gabinete do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

Negociadores israelitas deixam Qatar perante "impasse" sobre nova trégua
Notícias ao Minuto

14:02 - 02/12/23 por Lusa

Mundo Israel/Hamas

"Devido a um impasse nas negociações, e seguindo instruções do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, o chefe da Mossad, David Barnea, ordenou que a equipa de negociação em Doha regressasse a casa", refere um comunicado do gabinete do chefe do governo, emitido em nome da agência de inteligência.

"A organização terrorista Hamas não cumpriu a sua parte do acordo, que incluía a libertação de todas as crianças e mulheres, com base numa lista entregue e aprovada pelo Hamas", pode ler-se ainda na mesma nota.

Israel e o Hamas romperam na manhã de sexta-feira uma trégua mediada por Qatar, Egito e Estados Unidos, que previa a libertação de 105 reféns pelo grupo islamita (81 israelitas e 24 estrangeiros) em troca de 240 palestinianos detidos nas prisões israelitas, todos mulheres e menores, recomeçando os bombardeamentos israelitas e os disparos de rockets palestinianos.

Esta trégua, de 24 a 30 de novembro, marcou uma pausa nos combates da guerra que eclodiu em 7 de outubro e permitiu a entrada de ajuda humanitária na devastada Faixa de Gaza.

Segundo as autoridades israelitas, o Hamas mantém ainda vivos 132 reféns, incluindo duas crianças, os irmãos Ariel e Kfir Bibas, de 4 anos e 10 meses, respetivamente, raptados com a mãe, Shiri Silverman Bibas - de origem argentina -, e o pai Yarden Bibas.

O porta-voz do exército israelita, Daniel Hagari, afirmou sexta-feira à noite que o Hamas não honrou o compromisso de libertar a mãe e as duas crianças da família Bibas. No entanto, o Hamas afirma que os três foram mortos por bombardeamentos israelitas e ofereceu-se para entregar os seus corpos, o que Israel não aceitou.

A guerra rebentou a 7 de outubro, na sequência de um ataque do Hamas que incluiu o lançamento de milhares de rockets contra Israel e a infiltração de cerca de 3.000 milicianos que mataram cerca de 1.200 pessoas e raptaram outras 240 em aldeias israelitas próximas da Faixa.

Desde então, as forças israelitas têm mantido uma incessante ofensiva aérea, terrestre e marítima contra o enclave palestiniano que já terá feito mais de 15 mil mortos e gerado quase dois milhões de deslocados, no meio de uma grave crise humanitária.

Leia Também: AO MINUTO: Israel mata militares do Hezbollah; Ajuda humanitária em Gaza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório