Meteorologia

  • 26 FEVEREIRO 2024
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 14º

Foi mantido em cativeiro e forçado a tarefas pesadas. Três homens detidos

O caso aconteceu no Missouri, nos Estados Unidos.

Foi mantido em cativeiro e forçado a tarefas pesadas. Três homens detidos
Notícias ao Minuto

22:32 - 30/11/23 por Notícias ao Minuto

Mundo EUA

Três homens mantiveram um estudante da Índia em cativeiro ao longo de vários meses e forçaram-no a trabalhar e realizar tarefas pesadas, tendo-o agredido violentamente quando não as completava de forma satisfatória. O caso aconteceu no Missouri, nos Estados Unidos.

Ao que noticiou a Associated Press, que citou o procurador do condado de St. Charles Venkutesh Sattaru, de 35 anos, Nikhil Penmatsa, de 27, e Sravan Penumetcha, de 23, enfrentam acusações relacionadas com tráfico de seres humanos, sequestro e outros crimes.

A vítima, de 20 anos, está hospitalizada com o nariz, costelas e ossos das mãos e dos pés partidos, e ferimentos graves por ter sido bofeteado, pisado e espancado com canos e um arame que o deixou com cicatrizes "do alto da cabeça até à ponta dos pés", revelou o procurador.

As autoridades deram conta de que a vítima é um primo de Sattaru, que é dono de uma empresa de tecnologia da informação. O estudante veio para os EUA há cerca de um ano para frequentar a faculdade mas, em vez disso, foi forçado a trabalhar na empresa e a realizar outras tarefas exigidas pelos suspeitos.

O jovem foi mantido diversas vezes nas caves de três casas, sem comida e água e sem casa de banho, revelaram ainda.

A vítima foi descoberta depois de um vizinho de uma das casas na pequena cidade rural de Defiance ter pedido à polícia que realizasse uma verificação, porque considerava haver movimentos suspeitos.

Num dos dias em que os agentes se encontravam junto à casa, esta semana, a vítima "saiu a correr a gritar por ajuda".

Os documentos da acusação referem ainda que a vítima disse à polícia que temia ser morta se contasse a alguém sobre o abuso, porque Sattaru era rico e tinha ligações na Índia.

O trio está detido sem fiança e ainda não tem advogados atribuídos.

Leia Também: EUA destacam "voz global crescente" de Angola em questões de segurança

Recomendados para si

;
Campo obrigatório