Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2024
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 20º

Hancock deve ser executado hoje nos EUA, mas diz: "Obrigaram-me a lutar"

O homem, de 59 anos, diz que não tem dúvidas de que teria morrido se não tivesse matado outros dois homens, que o terão atraído até uma casa. Caso aconteceu em 2001.

Hancock deve ser executado hoje nos EUA, mas diz: "Obrigaram-me a lutar"
Notícias ao Minuto

12:44 - 30/11/23 por Notícias ao Minuto

Mundo EUA

O estado norte-americano de Oklahoma prepara-se para executar um homem esta quinta-feira, apesar de este alegar autodefesa no duplo homicídio pelo qual foi condenado.

De acordo com a imprensa norte-americana, a execução está marcada para as 10 horas locais, 16 horas em Portugal continental, numa prisão na cidade de McAlester. O Conselho de Indulto e Liberdade Condicional recomendou ao governador, Kevin Stitt, que a vida deste homem, de 59 anos, fosse poupada, mas até hoje o responsável não emitiu nenhuma recomendação. Stitt já ‘fechou’ o ‘corredor da morte’ a um recluso, em 2021, poucas horas antes de este receber a injeção letal.

Um porta-voz revelou que o governador planeava falar com procuradores, os advogados de defesa e também com as famílias das vítimas antes de tomar uma decisão.

O duplo homicídio aconteceu em 2001, na cidade de Oklahoma, na casa de uma das vítimas. O advogado de defesa de Phillip Hancock alegou que as vítimas, Robert Jett Jr. e James Lynch, eram membros de um gangue de motoqueiros e que Hancock terá sido atraído até à casa do primeiro, estando desarmado.

Segundo uma testemunha citada pela NBC News, Jett, de 37 anos, terá ordenado a Hancock que entrasse numa jaula grande, antes de lhe atirar com uma barra de metal.

Depois de Jett e Lynch, de 58 anos, terem agredido o agora condenado, este conseguiu tirar a arma a Jett, alvejando-os.

“Por favor, percebam a situação em que me encontro”, referiu o condenado ao conselho de indulto acima referido. “Não tenho dúvidas de que me teriam morto. Obrigaram-me a lutar pela minha vida”, garantiu.

Alguns responsáveis alegam no entanto que as versões de Hancock sobre o que se passou nessa noite não correspondem sempre e que uma outra testemunha contou que depois de Hancock alvejar Jett no interior da casa, o seguiu até ao jardim. O motoqueiro terá dito: “Vou morrer”. Segundo a mesma testemunha, Hancock voltou a alvejá-lo, mas não sem antes lhe dizer: “Sim, vais morrer”.

“Perseguir alguém, dizer-lhe que o vais matar e fazê-lo não é autodefesa”, apontou um dos procuradores-gerais.

O irmão de Jett foi uma das pessoas que pediu que não fosse dada clemência. “Não estou a dizer que o meu irmão era um anjo, mas ele não merecia morrer num jardim como um cão”, apontou.

Leia Também: Executado condenado por homicídio de estudante universitária de Oklahoma

Recomendados para si

;
Campo obrigatório