Meteorologia

  • 03 MARçO 2024
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 15º

"Estamos a assistir em tempo real ao colapso climático", avisa Guterres

António Guterres está na COP28, nos Emirados Árabes Unidos.

"Estamos a assistir em tempo real ao colapso climático", avisa Guterres
Notícias ao Minuto

11:39 - 30/11/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

Mundo COP28

O secretário-geral da ONU, António Guterres, lembrou hoje que "estamos a assistir em tempo real ao colapso climático". O aviso foi feito no discurso de abertura da COP28, que decorre nos Emirados Árabes Unidos.

"Estamos a viver o colapso climático em tempo real", disse, lembrando que, este ano, comunidades de todo o mundo foram atingidas por incêndios, inundações e temperaturas escaldantes".

O relatório intercalar para 2023 apresentado hoje pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) revela, nas palavras de Guterres, que "a um mês do fim do ano", já pode ser declarado que se trata do ano mais quente "alguma vez registado na história da humanidade".

Para Guterres, as "catástrofes meteorológicas" devem obrigar os dirigentes a agir, porque, frisou, existe "um roteiro para limitar o aumento das temperaturas globais a 1,5 graus (em 2023 foi de 1,4) e evitar o caos climático".

"O aquecimento global recorde deve causar arrepios nos líderes mundiais. E deve levá-los a agir”, atirou.

“É por isso que a COP é importante, para que as pessoas compreendam que continuamos a avançar numa direção muito errada”, continuou Guterres, considerando que a “única coisa que ainda falta” para resolver o problema “é vontade política”.

O secretário geral da ONU defendeu que o mundo tem “potencial, novas tecnologias, desenvolvimento, capacidade e dinheiro para fazer o que é preciso” e, sobre  a redução das emissões de carbono, assinalou que há “uma diferença essencial entre a redução progressiva e a eliminação progressiva” e que este esforço “não pode parar amanhã”. 

As declarações de António Guterres foram divulgadas através de uma mensagem gravada em vídeo durante a apresentação dos últimos dados climáticos da Organização Meteorológica Mundial.

O secretário geral das Nações Unidas afirmou ainda que, nas semanas de negociações nos Emirados Árabes Unidos, os líderes mundiais "devem apresentar propostas claras para a próxima ronda de planos de ação climática".

Os líderes mundiais reunidos na COP28 devem fazer "triplicar as energias renováveis, duplicar a eficiência energética e comprometer-se a abandonar os combustíveis fósseis", insistiu Guterres.

Os países desenvolvidos devem cumprir o compromisso para contribuir com 100 mil milhões de dólares por ano para financiar a luta contra as alterações climáticas, uma luta que deve incluir sistemas de alerta precoce para que "todas as pessoas na Terra estejam protegidas até 2027".

A COP28, que arrancou hoje, vai insistir na necessidade de serem cumpridas as promessas de mobilizar anualmente 100 mil milhões de dólares, para ajudar os países pobres no combate e adaptação às alterações climáticas.

O presidente da COP28 já disse que é preciso duplicar o financiamento da adaptação até 2025 e vai debater um plano para diminuir as emissões de metano e o eventual aumento da energia nuclear.

A Conferência das Partes (países) da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas irá decorrer até 12 de dezembro.

[Notícia atualizada às 12h30]

Leia Também: COP28. Fundo de 'perdas e danos' entra em funcionamento

Recomendados para si

;
Campo obrigatório