Meteorologia

  • 25 ABRIL 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 19º

Uganda quer dar nome de turistas mortos a rua... mas não incluiu guia

Ugandeses revoltaram-se contra proposta do governo para dar a uma rua o nome de dois turistas que foram assassinados no país, mas excluindo o nome do guia turístico que seguia com eles, e que foi também assassinado.

Uganda quer dar nome de turistas mortos a rua... mas não incluiu guia
Notícias ao Minuto

14:46 - 27/10/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Uganda

O governo ugandês propôs homenagear as vítimas mortais de um ataque perpetrado a 17 de outubro pelas Forças Democráticas Aliadas (ADF, na sigla em inglês), que acabou com três mortes, dando os seus nomes a uma rua.

O problema é que o executivo apenas incluiu na homenagem o nome dos dois turistas britânicos assassinados, deixando de fora o nome do guia turístico que seguia com eles, e que também foi assassinado.

"Eric [Alyai] também fez parte desta morte e por isso deve ser lembrado porque morreu em serviço. Seria bastante justo", disse um ugandês no X, anteriormente conhecido como Twitter, citado pela BBC.

Já outro utilizador disse que o "complexo de inferioridade" do país é "alto". "Não me surpreende que o parque onde o casal foi morto tenha o nome de uma rainha britânica", ironizou.

A proposta de homenagem tem sido também criticada por alguns, que consideram que o governo não tem feito qualquer ação para homenagear dezenas de outras vítimas das ADF, um grupo rebelde ligado ao Estado Islâmico, no passado.

Em junho, recorda a BBC, as ADF invadiram uma escola ugandesa, matando 41 crianças.

Para recordar

O casal britânico, de Berkshire, estava, a 17 de outubro, a visitar o Parque Nacional Rainha Elisabete, para ver gorilas e outros primatas, quando foi assassinado num ataque perpetrado pelas ADF, junto do guia turístico com quem estavam.

Leia Também: Estado Islâmico reivindica ataque que matou três pessoas no Uganda

Recomendados para si

;
Campo obrigatório