Meteorologia

  • 29 FEVEREIRO 2024
Tempo
16º
MIN 11º MÁX 16º

Relatora da ONU lamenta que ninguém, nem Guterres, peçam cessar-fogo

A relatora especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para os territórios palestinianos ocupados lamenta que ninguém, nem sequer o secretário-geral da ONU, António Guterres, peça às Nações Unidas um cessar-fogo no Médio Oriente.

Relatora da ONU lamenta que ninguém, nem Guterres, peçam cessar-fogo
Notícias ao Minuto

15:22 - 15/10/23 por Lusa

Mundo Israel

"Não tenho qualquer indicação de que esteja a ser considerado nem ao nível do secretário-geral", disse a relatora especial para os territórios palestinianos ocupados, Francesca Albanese, em declarações à rede Al-Jazeera, lamentando que além dela, ninguém pediu um cessar-fogo no Médio Oriente.

"Preocupa-me porque (...) há autoridades israelitas a quererem eliminar o movimento islamita Hamas, mas o que vemos na realidade é que milhares de pessoas, incluindo crianças, são mortas ou feridas", referiu.

A relatora especial da ONU para os territórios palestinianos ocupados exigiu o fim das ações militares contra civis e exorta Israel a explicar à ONU como pretende levar a cabo o "desmantelamento do Hamas".

No sábado, Albanese já havia alertado que os palestinianos corriam um sério risco de acabar como vítimas de uma nova "limpeza étnica em massa", recordando a Nakba (a catástrofe), que em 1948, com a criação do Estado de Israel, obrigou à fuga de quase 700 mil palestiniano de suas casas para a Cisjordânia, a Faixa de Gaza e outros países da região, como a Síria.

Albanese acusou tanto "o Hamas, como as forças de ocupação israelitas" de cometerem "crimes internacionais" e destacou em particular "as mortes de mais de 600 crianças palestinianas" e mais de 423 mil pessoas deslocadas "como resultado dos ataques israelitas".

Segundo as autoridades locais, mais de 2.300 pessoas morreram na Faixa de Gaza na sequência dos ataques israelitas.

Mais de 1.300 pessoas foram mortas em Israel no ataque do Hamas, durante o qual 126 pessoas foram também capturadas, de acordo com os últimos números das autoridades israelitas.

O grupo islamita Hamas lançou no dia 07 um ataque surpresa contra Israel com o lançamento de milhares de foguetes e a incursão de milicianos armados por terra, mar e ar.

Em resposta, Israel bombardeou a partir do ar várias infraestruturas do Hamas na Faixa de Gaza e impôs um cerco total ao território com corte de abastecimento de água, combustível e eletricidade.

Os ataques já provocaram milhares de mortos e feridos nos dois territórios.

Leia Também: Um milhão de pessoas deslocadas numa semana em Gaza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório