Meteorologia

  • 05 MARçO 2024
Tempo
MIN 8º MÁX 16º

Gaza. ONU alerta para situação catastrófica e pede levantamento do cerco

Várias agências das Nações Unidas alertaram hoje para o agravamento da situação na Faixa de Gaza e pediram o levantamento urgente do cerco para permitir levar ajuda humanitária e responder a uma situação catastrófica.

Gaza. ONU alerta para situação catastrófica e pede levantamento do cerco
Notícias ao Minuto

13:29 - 14/10/23 por Lusa

Mundo Israel/Palestina

Segundo a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina no Próximo Oriente (UNRWA), mais de dois milhões de pessoas na Faixa de Gaza estão a ficar sem água potável, uma vez que Israel impede a entrada de ajuda humanitária no enclave.

"Tornou-se uma questão de vida ou de morte. É imperativo: O combustível tem de ser entregue agora em Gaza para que haja água disponível para dois milhões de pessoas", afirmou o Comissário Geral da UNRWA, Philippe Lazzarini, num comunicado.

E acrescentou: "O combustível é a única forma de as pessoas terem água potável. Caso contrário, as pessoas começarão a morrer de desidratação grave, incluindo crianças pequenas, idosos e mulheres. A água é atualmente a última tábua de salvação que resta. Apelo a que o cerco à assistência humanitária seja levantado agora", disse o representante da UNRWA.

Por seu lado, a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou hoje que o material médico necessário para satisfazer as necessidades de 300.000 pessoas na Faixa de Gaza foi transportado para um aeroporto egípcio perto do enclave palestiniano, enquanto se aguarda o acesso humanitário.

Segundo a OMS, o material poderá ser entregue logo que seja estabelecido o acesso humanitário através do posto fronteiriço de Rafah com o Egito, no sul da Faixa de Gaza.

Um avião transportando 78 m3 de equipamento do centro logístico da agência da ONU no Dubai aterrou no aeroporto de El-Arich, no Egito, informou a OMS em comunicado.

"A cada hora que passa com o equipamento estacionado no lado egípcio da fronteira, raparigas e rapazes, mulheres e homens, especialmente os vulneráveis e deficientes, continuarão a morrer, enquanto o equipamento que os pode salvar está a menos de 20 km de distância", continuou a OMS.

Este equipamento cobre "as necessidades de 300.000 pessoas", incluindo mulheres grávidas. Inclui equipamento para tratar 1.200 feridos e 1.500 pessoas que sofrem de problemas cardíacos, hipertensão, diabetes e problemas respiratórios.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) alertou que centenas de milhares de crianças em Gaza se encontram numa situação "catastrófica" após uma semana de contra-ataques israelitas ao enclave palestiniano, em resposta à ofensiva lançada pelo Hamas no passado sábado.

"As crianças e as famílias de Gaza ficaram praticamente sem alimentos, água, eletricidade, medicamentos e acesso seguro aos hospitais, após dias de hostilidades e cortes em todas as vias de abastecimento", denuncia a UNICEF.

Para a diretora-geral da UNICEF, Catherine Russell, "a situação é catastrófica, com bombardeamentos incessantes e um aumento maciço da deslocação de crianças e famílias". Russell apela a "um cessar-fogo imediato e ao acesso humanitário como prioridades máximas para permitir que as crianças e as famílias de Gaza recebam a tão necessária ajuda".

A UNICEF estima que mais de 423.000 pessoas já fugiram das suas casas em Gaza para procurar refúgio em escolas ou hospitais e algumas instalações educativas foram danificadas pelos ataques.

O grupo islamita Hamas lançou no sábado passado um ataque surpresa contra Israel, com o lançamento de milhares de foguetes e a incursão de milicianos armados por terra, mar e ar.

Em resposta, Israel bombardeou a partir do ar várias infraestruturas do Hamas na Faixa de Gaza e impôs um cerco total ao território com corte de abastecimento de água, combustível e eletricidade.

Leia Também: Zonas a norte de Gaza mais condicionadas pelas forças de Israel

Recomendados para si

;
Campo obrigatório