Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2023
Tempo
MIN 8º MÁX 15º

Osman Kavala denuncia desprezo pela vida humana após condenação a perpétua

O mecenas Osman Kavala acusou hoje as autoridades turcas de desprezo pela vida humana após a justiça ter confirmado a sua condenação a prisão perpétua, segundo indicou um dos seus próximos.

Osman Kavala denuncia desprezo pela vida humana após condenação a perpétua
Notícias ao Minuto

23:39 - 29/09/23 por Lusa

Mundo Osman Kavala

Detido há seis anos, o empresário, figura da sociedade civil turca e forte opositor do Presidente turco Recep Tayyip Erdogan foi acusado de tentativa de derrube do Governo ao financiar manifestações contra o poder em 2013.

"Esta decisão resulta de uma visão que não valoriza nem o direito nem a vida humana", referiu hoje o filantropo ao deputado da oposição Enis Berberoglu, que o visitou na prisão de Silivri, a oeste de Istambul.

Berberoglu precisou em declarações à agência noticiosa AFP que o encontro se prologou "entre 15 e 20 minutos".

Osman Kavala disse ter tomado conhecimento da decisão do Tribunal de apelo "pela televisão" e quando escrevia uma carta a um próximo.

"Estava a iniciar a frase 'Se devo ficar aqui muito tempo', e viu a informação na televisão, E então escreveu 'Penso que vou ficar muito tempo'", afirmou o deputado.

No entanto, o mecenas assegurou ao deputado permanecer com "moral elevada".

As condenações de quatro dos seus coacusados a 18 anos de prisão também foram confirmadas pelo tribunal, incluindo a de Can Atalay, eleito deputado em maio e que desta forma perde o seu mandato.

Outros três indiciados viram as suas penas anuladas, com destaque para Mücella Yapici, porta-voz do Solidariedade Taksim, um coletivo no centro das designadas manifestações de Gezi, que em 2013 desestabilizaram o poder de Recep Tayyip Erdogan, então primeiro-ministro.

Diversos responsáveis europeus e defensores dos direitos humanos denunciaram a confirmação das sentenças de Kavala e dos restantes quatro coacusados.

"Lamentamos a decisão do Tribunal de apelo turco (...). Aumenta as inquietações da União Europeia quanto ao respeito pelo sistema judicial turco das normas internacionais e europeias", reagiu Peter Stano, porta-voz do chefe da diplomacia europeia Josep Borrell, em comunicado divulgado esta noite.

A Amnistia Internacional (AI) também denunciou o veredicto como "politicamente motivado" e destinado a "silenciar as vozes independentes".

Osman Kavala, que viu rejeitados todos os seus apelos, foi condenado definitivamente na noite de quinta-feira a "reclusão perpétua agravada" pelo seu presumível envolvimento nas manifestações de Gezi em Istambul em 2013.

A decisão implica a impossibilidade de libertação antecipada e a sua permanência em isolamento.

Osman Kavala negou desde o início o processo todas as acusações e denunciou um "assassinato judicil" contra si e a influência do chefe de Estado no seu processo.

A recusa da Turquia em aplicar uma deliberação do Conselho da Europa onde se considera que Ancara violou a Convenção europeia dos direitos humanos poderá implicar a e sua expulsão deste organismo pan-europeu.

Leia Também: Pelo menos 26 corpos encontrados numa área incendiada na Grécia

Todas as Notícias. Ao Minuto.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Recomendados para si

;
Campo obrigatório