Meteorologia

  • 14 JUNHO 2024
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 25º

Balcãs Ocidentais esperam progresso e apoio financeiro na adesão à UE

Os líderes de vários países dos Balcãs Ocidentais, que ambicionam ingressar na União Europeia (UE), reuniram-se informalmente esta segunda-feira na Albânia, para preparar uma cimeira sobre o seu progresso na preparação para uma futura adesão.

Balcãs Ocidentais esperam progresso e apoio financeiro na adesão à UE
Notícias ao Minuto

06:56 - 18/07/23 por Lusa

Mundo União Europeia

Num almoço informal, o primeiro-ministro albanês, Edi Rama, deu as boas-vindas aos seus homólogos do Montenegro, Sérvia e Macedónia do Norte, e ao comissário para o alargamento da UE, Oliver Varhelyi, noticiou a agência Associated Press (AP).

A Albânia planeia sediar uma cimeira, em 16 de outubro, sobre o Processo de Berlim, uma iniciativa da Alemanha e da França para encorajar os seis países dos Balcãs Ocidentais que ainda não fazem parte da UE a continuar o seu trabalho para alinhar as suas políticas e práticas com as do bloco europeu.

Os seis países -- Sérvia, Kosovo, Bósnia, Montenegro, Macedónia do Norte e Albânia -- estão em diferentes estágios de integração no bloco.

Em 2013, a Croácia, também um país dos Balcãs Ocidentais, tornou-se o mais recente membro da UE mas, desde então, o progresso estagnou.

Edi Rama destacou que espera que "a cimeira tenha um resultado significativo para os Balcãs Ocidentais e sirva como mais um passo" para facilitar as interações com a UE.

"Paralelamente ao processo de negociação, [esperamos] apoio financeiro e económico extra para os países dos Balcãs Ocidentais", frisou.

Estas nações também discutiram com Varhelyi "como abrir caminhos para a integração [para os países da região] no mercado único europeu, sem esperar pela adesão à UE", adiantou Rama.

A Sérvia e o Montenegro foram os primeiros países dos Balcãs Ocidentais a iniciar negociações de adesão, seguido pela Albânia e Macedónia do Norte no ano passado, enquanto Bósnia e Kosovo apenas começaram a primeira etapa do processo de integração.

"O importante neste momento é considerar a região como uma só, porque é assim que a UE nos vê, apesar de alguns países estarem à frente e outros atrasados", apontou Rama.

A UE não considerou as economias e instituições políticas dos restantes países dos Balcãs Ocidentais prontas para a integração no mercado único da UE de comércio sem fronteiras e ideais democráticos ocidentais.

Uma amarga disputa entre a Sérvia e Kosovo, uma antiga província sérvia que declarou independência em 2008 e que Belgrado não reconhece, continua a ser uma grande preocupação para as potências ocidentais antes da cimeira de outubro.

A guerra na Ucrânia colocou a integração dos Balcãs Ocidentais no topo da agenda do bloco, enquanto a UE trabalha para revigorar o seu processo de ampliação.

De resto, Kiev também está a tentar juntar-se ao bloco comunitário.

Leia Também: Ratificação da adesão da Suécia à NATO ratificada "logo que possível"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório