Meteorologia

  • 29 FEVEREIRO 2024
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 16º

General russo sabia de rebelião? "Boatos", diz Kremlin

Kremlin fala em "especulação" após ser noticiado que o general russo Sergey Surovikin sabia dos planos de Yevgeny Prigozhin.

General russo sabia de rebelião? "Boatos", diz Kremlin
Notícias ao Minuto

14:35 - 28/06/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Kremlin

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou, esta quarta-feira, que a notícia avançada pelo New York Times de que o general russo Sergey Surovikin terá tido conhecimento prévio dos planos de rebelião de Yevgeny Prigozhin, líder do grupo Wagner, são "boatos".

"Agora haverá muita especulação, boatos e por aí em diante sobre estes eventos. Acho que esse é um desses exemplos", disse Peskov aos jornalistas, segundo cita a agência estatal TASS.

De realçar que o New York Times escreveu que as autoridades norte-americanas foram informadas sobre o assunto pelos serviços de inteligência dos Estados Unidos e estão a "tentar saber" se Sergey Surovikin, ex-comandante das operações militares da Rússia na Ucrânia, "ajudou a planear as ações" de Prigozhin.

Além disso, a mesma fonte disse que há sinais de que outros generais russos possam ter apoiado a rebelião do líder do grupo Wagner contra o Ministério da Defesa da Rússia.

Surovikin assumiu o comando geral das operações na Ucrânia em outubro, contudo, foi afastado em janeiro deste ano por Sergei Shoigu, ministro da Defesa russo.

Entretanto, o The Sun avançou que o homem está em paradeiro incerto. Acredita-se que possa estar a ser interrogado para apurar o que sabia sobre a conspiração levada a cabo contra Vladimir Putin.

Recorde-se que o líder do grupo paramilitar Wagner, Yevgeny Prigozhin, avançou, na sexta-feira, com uma rebelião na Rússia, que acabou por suspender menos de 24 horas depois, já após ter ocupado Rostov, uma importante cidade no sul do país para a logística da guerra na Ucrânia.

Prigozhin acusara antes o Exército russo de atacar acampamentos dos seus mercenários, provocando "um número muito grande de vítimas". As acusações foram negadas pelo Ministério da Defesa da Rússia.

Vladimir Putin discursou ao país e falou numa "ameaça mortal" ao Estado russo e numa "traição". 

Leia Também: General russo sabia dos planos de rebelião de Prigozhin, dizem EUA

Recomendados para si

;
Campo obrigatório