Meteorologia

  • 05 MARçO 2024
Tempo
13º
MIN 8º MÁX 16º

"Não disponho de nenhum dado". Kremlin desconhece paradeiro de Prigozhin

O porta-voz do Kremlin negou hoje saber onde se encontra o empresário Yevgeny Prigozhin, que de acordo com um grupo de monitorização bieolorrusso, terá chegado hoje de avião a um aeródromo em Minsk.

"Não disponho de nenhum dado". Kremlin desconhece paradeiro de Prigozhin
Notícias ao Minuto

12:49 - 27/06/23 por Lusa

Mundo Rússia

"Não disponho de nenhum dado sobre ele", disse Peskov na habitual conferência de imprensa realizada por telefone. 

Segundo a equipa de investigação bielorrussa Gayun, que monitoriza a atividade militar no país, o avião privado do oligarca russo que lidera o grupo Wagner terá aterrado hoje no aeroporto militar de Machulishchi, perto de Minsk.

O aparelho terá aterrado às 07:37 locais (04:37 em Lisboa), de acordo com os dados do portal Flightradar24, que também rastreia as ligações aéreas. 

Trata-se de um Embraer Legacy 600 com o número de registo RA-02795 e encontra-se incluído na lista de sanções norte-americana desde 2019 pela ligação a Prigozhin, apesar de a matrícula antiga ser M-SAAN.

Segundo a organização Gayun, outro avião privado como número RA-02878 proveniente de São Petersburgo, Rússia, aterrou às 07:58 (04:58 em Lisboa) também no aeródromo de Machulishchi. 

Desconhece-se até ao momento se o oligarca russo Prigozhin se encontrava a bordo de um dos dois aparelhos.

As informações sobre estes dois aviões não foram referidas oficialmente pelas autoridades de Minsk nem foram diretamente acompanhadas por jornalistas ou verificadas por fontes independentes.

O líder do grupo Wagner foi visto publicamente pela última vez na noite do dia 24 de junho quando abandonava no interior de um veículo a cidade de Rostov-sobre-o-Don, ocupada pelos combatentes contratados.

Na segunda-feira, o oligarca, sem revelar o seu paradeiro, publicou uma mensagem áudio através do Telegram afirmando que "a rebelião armada" não tinha como objetivo a queda do Governo russo, mas sim protestar contra as intenções do Ministério da Defesa, que acusou de querer desmantelar a empresa. 

Leia Também: Tropas de Minsk receberam ordem de prontidão após rebelião em Rostov

Recomendados para si

;
Campo obrigatório