Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 21º

Da aguardente ao canguru. Eis como Navalny tenta divertir-se na prisão

O opositor russo fez pedidos inusitados à administração prisional e divertiu-se com a resposta. Agora, garante que irá lutar "pelo direito inalienável de ter um canguru".

Da aguardente ao canguru. Eis como Navalny tenta divertir-se na prisão
Notícias ao Minuto

16:20 - 02/06/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Rússia

O opositor do regime russo, Alexei Navalny, revelou a forma como se "entretém" na prisão de alta segurança onde se encontra detido, na Sibéria. Na rede social Twitter, o político russo contou que tem por hábito fazer pedidos insólitos à administração da prisão.

"Quando se está no SHIZO [cela solitária] e não se tem muitas opções de entretenimento, é sempre possível divertir-se através de correspondência com a administração da prisão", começou por referir, antes de mostrar "algumas das respostas" aos seus pedidos. 

O primeiro pedido, que tal como todos os outros foi negado, incluiu "dois maços de tabaco, uma garrafa de aguardente e uma balalaika". Seguiram-se "matracas e um bastão", um "megafone" para oferecer ao "psicopata da cela em frente para que ele possa gritar ainda mais alto" e um "quimono e cinto preto".

Navalny pediu ainda que fosse "atribuída a 10.ª Dan de Karaté ao colega que matou um homem com as próprias mãos". No entanto, a prisão rejeitou e informou que "a questão da atribuição de graus de qualificação em artes marciais não é da competência da administração do estabelecimento penal."

Estando detido numa das colónias penais mais severas da Rússia, Navalny pediu que fosse fornecida ao "chefe de esquadrão uma cadeira de massagens para aliviar o stress". Este pedido foi também negado.

Para se distrair, o principal opositor do presidente russo, Vladimir Putin, pediu para saber o nome dos cães de serviço. No entanto, além do pedido rejeitado, foi-lhe explicado que se soubesse o nome dos animais, "poderia fazer amizade com eles e usar isso para fugir".

Sem poder "fazer amizade" com os cães, pediu autorização para ter um escaravelho. "Informamos que o referido inseto pertence ao reino animal e não lhe pode ser entregue", justificou a administração prisional.

No Twitter, Navalny lembrou que "um recluso pode ter um animal com a autorização da administração" e, por isso, avançou com um pedido para ter… um canguru.

"Exigi oficialmente que me fosse concedida uma autorização para ter um animal - um canguru. Foi-me recusada devido ao facto de o canguru ser um marsupial e de esses animais serem proibidos na SHIZO", lamentou.

No entanto, o político russo garante que irá continuar "a lutar pelo direito inalienável de ter um canguru".

Sublinhe-se que o opositor do regime do presidente russo estava a cumprir pena em liberdade condicional após ter sido acusado de fraude – uma acusação que diz ter sido fabricada – quando foi envenenado com um agente neurotóxico do tipo Novitchok, em agosto de 2020.

Após aquela que considera ser uma tentativa de assassinato por parte do Kremlin, o opositor de 46 anos foi transferido, a pedido da mulher, da Sibéria para a Alemanha para recuperar. Foi detido ao voltar para a Rússia, a 17 de janeiro de 2021. 

Inicialmente, recebeu uma sentença de dois anos e meio de prisão por violação da liberdade condicional, mas, no ano passado, foi condenado a nove anos de prisão por "fraude" e "desrespeito do tribunal", estando a cumprir a pena numa prisão de segurança máxima situada 250 quilómetros a leste de Moscovo.

Leia Também: Rússia declara fundo anticorrupção de Navalny organização indesejável

Recomendados para si

;
Campo obrigatório