Meteorologia

  • 04 MARçO 2024
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 17º

Josep Borrell garante fornecimento de aviões F-16 à Ucrânia

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, garantiu hoje o fornecimento de aviões de combate ('caças') F-16 à Ucrânia: "Ainda não os demos, mas vamos dá-los".

Josep Borrell garante fornecimento de aviões F-16 à Ucrânia
Notícias ao Minuto

19:32 - 29/05/23 por Lusa

Mundo Ucrânia

A afirmação foi feita durante a abertura da 39.º Reunião do Círculo de Economia, que decorre em Barcelona, depois de questionado sobre o envio destes aviões é o passo seguinte na ajuda à Ucrânia na resposta à invasão do país pela Federação Russa.

Borrell recordou a ajuda militar já prestada, do equipamento individual aos sistemas de defesa antiaérea, passando pelos carros de combate Leopard.

"Agora, são os F-16. Ainda não os demos, mas vamos dá-los", garantiu.

Borrell recordou que o G7, na sua cimeira recente, decidiu "preparar o terreno para dar às Ucrânia os 'caças' que precisa", ao dar luz verde para a formação dos pilotos ucranianos.

Por outro lado, declarou que não está otimista sobre os desenvolvimentos durante o verão, dada a atual concentração de forças e a "vontade clara" da Federação Russa ganhar a guerra, em vez de negociar.

Borrell defendeu ainda que a União Europeia tem de aumentar a sua capacidade de defesa e a sua coordenação nesta área "se quiser ser uma potência mundial", o que passa por aumentar o orçamento militar.

"Sei que não se ganham campanhas (eleitorais) assim, mas o mundo é como é e não como gostaríamos que fosse. E é um mundo perigoso onde há países próximos que nos podem causar problemas", disse, exemplificando com a Federação Russa, mas também com regiões como o Sahel e outras zonas de África.

Neste sentido, assinalou que o último ano, devido à invasão russa da Ucrânia, "expôs défices e limitações", algo, considerou, "a que há que pôr fim".

Já sobre a China e as crescentes tensões com os EUA, Borrell afirmou que "a Europa não tem interesse em outra guerra fria", enquanto admitia que a China "ultrapassou" os europeus enquanto principal sócio comercial da América Latina.

Leia Também: Lavrov classifica envio de caças F-16 como "escalada inaceitável"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório