Meteorologia

  • 25 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 24º

Kharkiv, Zaporíjia e Izium debaixo de fogo russo durante a noite

Mais de um ano após o início do conflito, prosseguem as investidas militares russas em solo ucraniano.

Kharkiv, Zaporíjia e Izium debaixo de fogo russo durante a noite
Notícias ao Minuto

08:39 - 31/03/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Guerra na Ucrânia

O chefe da administração regional de Kharkiv, Oleg Sinegubov, revelou que aquela que é a segunda maior cidade da Ucrânia esteve sob fogo inimigo na noite de quinta-feira. 

Foram lançados “seis mísseis” antiaéreos S-300 sobre Kharkiv, provenientes de Belgorod, no sul da Rússia.

“Segundo informações preliminares, uma casa privada e dois carros civis foram danificados por ataques de mísseis num dos bairros da cidade”, revelou o autarca, numa publicação na rede social Telegram. Há registo de três feridos leves.

Sinegubov deixou ainda um aviso aos moradores da região para que permanecessem em abrigos durante o alerta de ataque aéreo.

De notar que, na região de Kharkiv, o distrito de Izium também foi atacado, visando instalações de infraestruturas críticas. Dois homens ficaram feridos e foram, consequentemente, hospitalizados.

Entretanto, também a cidade de Zaporíjia esteve debaixo de fogo a noite passada, segundo avançado pela difusora estatal ucraniana Suspilne, na rede social Telegram.

A fonte citada explica que Zaporíjia, bem como algumas regiões dos subúrbios, foram atacadas. A investida não causou mortos ou feridos, mas causou danos em edifícios residenciais e noutras infraestruturas locais.

Desde o início da guerra, que se iniciou a 24 de fevereiro do ano passado, os países da NATO e da União Europeia apressaram-se a disponibilizar apoio financeiro, militar e humanitário para ajudar a Ucrânia a fazer face à invasão da Rússia. O país invasor, por outro lado, foi alvo de pacotes de sanções consecutivos (e concertados) aplicados pelos parceiros de Kyiv.

Até agora, mais de 8 mil civis já morreram, ao passo que mais de 13 mil ficaram feridos na sequência dos combates no terreno, segundo os cálculos da Organização das Nações Unidas (ONU).

Leia Também: Libertação (após massacre) de Bucha foi há um ano. "Nunca iremos perdoar"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório