Meteorologia

  • 15 JULHO 2024
Tempo
21º
MIN 18º MÁX 26º

EUA. Renomeada base que homenageava combatente por estados esclavagistas

Os Estados Unidos renomearam sexta-feira a primeira de nove bases militares que tinham o nome de generais que lutaram ao lado dos estados esclavagistas durante a Guerra Civil Americana (1861-1865).

EUA. Renomeada base que homenageava combatente por estados esclavagistas
Notícias ao Minuto

06:57 - 25/03/23 por Lusa

Mundo EUA

A base que homenageava o General Confederado George Pickett, famoso por liderar uma acusação suicida sob as ordens dos seus superiores durante a Batalha de Gettysburg em 1863, passa agora a ter o nome de um coronel que lutou na Segunda Guerra Mundial.

Fort Pickett, a instalação da Guarda Nacional no estado da Virgínia, não muito longe de Washington, recebeu hoje a designação de "Fort Barfoot Joint Training Centre", em homenagem a um soldado condecorado na Segunda Guerra Mundial.

"Hoje honramos o Coronel Van Barfoot, um combatente da Segunda Guerra Mundial, galardoado com a Medalha de Honra e residente vitalício da Virginia", disse o comandante da base, o Coronel James Shaver, durante uma cerimónia que decorreu no local, onde estiveram familiares de Van Barfoot.

O heroísmo de Van Barfoot - incluindo desalojar duas metralhadoras alemãs, capturar 17 soldados inimigos, destruir um tanque e uma peça de artilharia, e resgatar tropas feridas em Itália em 1944 - valeu-lhe a maior honra militar da América.

Mais tarde serviu na Coreia e no Vietname, terminando a sua carreira como coronel.

Anteriormente, a base tinha o nome do General Confederado George Pickett, que se tornou famoso por liderar uma ação suicida sob as ordens dos seus superiores durante a Batalha de Gettysburg em 1863, que foi ganha pelo exército da União.

Os apelos para renomear estas instalações militares e outros locais que homenageiam generais confederados ganharam mais força após a morte de George Floyd, em maio de 2020, morto por um polícia branco.

O crime provocou um movimento anti-racista generalizado e passou a questionar com mais veemência os símbolos do passado esclavagista dos EUA.

O Congresso, em 2021, sobrepondo-se a uma tentativa de veto de Donald Trump, pediu ao Departamento de Defesa que criasse uma comissão para propor novos nomes para estas bases.

Leia Também: Jornalista da BBC e família doam 100 mil euros por passado esclavagista

Recomendados para si

;
Campo obrigatório