Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
24º
MIN 16º MÁX 30º

Polícia da Serra Leoa contesta relatório da Amnistia Internacional

A polícia da Serra Leoa contestou hoje um relatório da organização Amnistia Internacional que condenava o "uso excessivo da força" durante os violentos motins de agosto de 2022, considerando-o "tendencioso e preconceituoso".

Polícia da Serra Leoa contesta relatório da Amnistia Internacional
Notícias ao Minuto

19:43 - 24/03/23 por Lusa

Mundo Serra Leoa

Durante os protestos, que se transformaram em tumultos, seis agentes da polícia e 27 civis foram mortos, de acordo com um relatório oficial deste país da África Ocidental.

O uso da força foi "proporcional, razoável e necessário", lê-se num comunicado divulgado pela polícia.

A corporação também criticou a Amnistia Internacional por não ter denunciado a "selvajaria" com que alguns agentes da polícia foram mortos nesse dia.

Para produzir o relatório, que foi publicado na segunda-feira, a organização não-governamental (ONG) de defesa dos direitos humanos afirmou ter entrevistado testemunhas, familiares das vítimas, funcionários, polícia e sociedade civil.

A ONG recolheu, por exemplo, o testemunho de um pai cuja filha de 22 anos foi "alegadamente baleada" pelas forças de segurança quando "foi vender legumes" sem que tivesse participado nas manifestações.

A polícia deteve "515 pessoas" durante os protestos, a quem acusou de "destruição intencional de propriedade, comportamento sedicioso e homicídio", mas o número dos que ainda se encontram detidos "não foi revelado", de acordo com a Amnistia Internacional.

Durante protestos violentos, as forças de segurança "só devem usar a força quando tiverem esgotado todos os outros meios pacíficos", defendeu a ONG no seu relatório.

O Presidente da Serra Leoa, Julius Maada Bio, eleito em 2018 e candidato a um segundo mandato, tinha afirmado que os motins visavam criar uma "insurreição" para derrubar o Governo e culpou a oposição do sucedido.

Leia Também: Polícia do Equador apreende 3,8 toneladas de cocaína destinadas a África

Recomendados para si

;
Campo obrigatório