Meteorologia

  • 23 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 29º

Novo acordo pós-'Brexit' é ainda mais importante porque "há uma guerra"

O ministro irlandês do Comércio e do Emprego defendeu hoje que a aprovação do novo acordo para eliminar problemas relativos ao 'Brexit' é um objetivo fundamental numa altura em que a Europa vive uma guerra.

Novo acordo pós-'Brexit' é ainda mais importante porque "há uma guerra"
Notícias ao Minuto

08:26 - 18/03/23 por Lusa

Mundo ministro irlandês

"Temos a hipótese de fechar um capítulo que colocou a política da Irlanda, da Irlanda do Norte, da Grã-Bretanha e de toda a União Europeia em espera durante muito tempo" e esse objetivo é ainda mais importante numa altura que "há uma guerra na Europa", afirmou hoje Neale Richmond, em entrevista à Lusa.

Presente em Portugal para participar na conferência anual de sustentabilidade da Associação Ireland Portugal Business Network, o ministro falou sobre a importância da aprovação do recente acordo de Windsor, negociado entre o Governo britânico e a União Europeia (UE).

O acordo "quadro de Windsor" [Windsor Framework] visa resolver um dos maiores impasses resultantes da saída britânica do bloco europeu ('Brexit'), alterando o protocolo da Irlanda do Norte para pôr fim a divergências sobre o estatuto comercial desta região que faz parte do Reino Unido, mas tem um acordo de não-fronteira com a República da Irlanda, país que se mantém na UE.

O facto de a Europa estar a viver "uma crise energética e uma crise de aumento do custo de vida" leva Neale Richmond a sublinhar "a importância de existir uma relação estreita" entre a União Europeia e o Reino Unido.

"Poderemos avançar para o desenvolvimento dessa relação muito mais estreita quando encerrarmos este capítulo", alertou, acrescentando acreditar que o acordo de Windsor "será, de certeza absoluta, aprovado".

A ratificação do novo tratado depende sobretudo da aprovação do Partido Democrata Unionista (DUP) que, no entanto, ainda receia que a Irlanda do Norte possa continuar a ficar demasiado sujeita a regras e leis europeias.

O ministro irlandês do Comércio acredita, no entanto, que o acordo será adotado "nas próximas semanas" e admitiu à Lusa estar "muito feliz" por se ter conseguido chegar a "um bom acordo para o Reino Unido, para a UE e particularmente para a Irlanda".

Por um lado, "garante que não há 'endurecimento' da fronteira na ilha da Irlanda", o que significa que é mantida "a paz alcançada no Acordo de Sexta-Feira Santa", cujo 25º aniversário será comemorado no próximo dia 10 de abril.

Este acordo, cujo nome oficial é Acordo de Belfast, foi assinado em 1998 pelos governos britânico e irlandês, com o objetivo de acabar com os conflitos entre nacionalistas e unionistas sobre a questão da união da Irlanda do Norte com a República da Irlanda.

O DUP deve aceitar esta decisão e "permitir que as instituições do executivo norte-irlandês voltem a funcionar para que o povo da Irlanda do Norte, e todas as pessoas, possam realmente voltar a viver as suas vidas", defendeu Neale Richmond.

É preciso "aproveitar o potencial económico e os progressos que este quadro poderá apresentar à indústria e à sociedade em toda a Irlanda do Norte", acrescentou.

Fazer coincidir a aprovação 'Windsor Framework' com o aniversário do Acordo de Sexta-feira Santa seria, na opinião do ministro irlandês, "muito especial".

Embora defenda o acordo como um passo decisivo, o governante admite que o 'Brexit' está longe de estar concluído, apesar de o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia já ter sido assinado há três anos.

"O 'Brexit' não acabou. O 'Brexit' vai estar connosco pelas gerações vindouras de muitas maneiras", afirmou.

Leia Também: Macron e Sunak declaram "novo começo" nas relações França-Reino Unido

Recomendados para si

;
Campo obrigatório