Meteorologia

  • 23 ABRIL 2024
Tempo
16º
MIN 13º MÁX 24º

Amnistia Internacional pede ao Exército que investigue massacre no México

A Amnistia Internacional (AI) apelou esta quinta-feira para que o Exército mexicano seja responsabilizado pelas ações dos seus militares no assassinato de cinco jovens na cidade fronteiriça de Nuevo Laredo, exigindo ainda uma investigação pelas autoridades.

Amnistia Internacional pede ao Exército que investigue massacre no México
Notícias ao Minuto

06:38 - 03/03/23 por Lusa

Mundo Autoridades

A Amnistia Internacional (AI) apelou esta quinta-feira para que o Exército mexicano seja responsabilidado pelas ações dos seus militares no assassinato de cinco jovens na cidade fronteiriça de Nuevo Laredo, exigindo ainda uma investigação pelas autoridades.

"Pedimos ao Procurador-Geral da República que realize uma investigação rápida e eficaz e que o Ministério da Defesa Nacional (Sedena) seja responsável pelas ações dos seus elementos", frisou esta organização não-governamental (ONG) em comunicado.

Da mesma fonte, a AI pediu ao Estado mexicano que garanta que as famílias tenham acesso à verdade, à justiça e à indemnização.

A AI realçou que "casos de violação de direitos humanos cometidos por militares contra pessoas devem ser investigados e julgados por juízes civis".

O incidente ocorreu no domingo e cinco pessoas morreram e outra ficou ferida, em consequência do uso de força letal por elementos do Ministério da Defesa Nacional (Sedena), alertou na quarta-feira o gabinete do Alto-comissário da ONU para Direitos Humanos (ACNUDH).

O gabinete do ACNUDH no México solicitou esta quarta-feira uma investigação "diligente, rápida e imparcial" sobre os assassinatos de cinco jovens na cidade fronteiriça de Nuevo Laredo, pelo Exército mexicano.

Para o ACNUDH no México, de acordo com as normas internacionais de direitos humanos, o uso de armas de fogo deve ser "o último recurso", proporcional ao objetivo legítimo perseguido, com pleno respeito e proteção da vida humana.

A posição destas organizaçãos surge depois de, na quarta-feira, o Presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, ter pedido para que seja determinado o papel do Exército no assassinato de cinco jovens na cidade fronteiriça de Nuevo Laredo para que, no caso de serem responsáveis, "sejam punidos".

A morte destes jovens ocorre num momento em que se regista uma crescente política de militarização do Presidente Andrés Manuel López Obrador, que atribuiu tarefas de segurança pública às Forças Armadas.

Na terça-feira, o próprio Sedena explicou que as ações dos elementos do Exército mexicano ocorreram após uma perseguição e o som de "um barulho", ao detalhar a abertura de uma investigação civil e pela autoridade da justiça militar.

Leia Também: Tesla confirma nova fábrica no México. Novos modelos serão feitos lá

Recomendados para si

;
Campo obrigatório