Meteorologia

  • 05 MARçO 2024
Tempo
16º
MIN 8º MÁX 16º

"Só quer ser famosa". Família diz ter provas de que Julia não é Maddie

A família de Julia Faustyna diz que a jovem, de 21 anos, sofre de problemas psicológicos e recusa tratamento médico.

"Só quer ser famosa". Família diz ter provas de que Julia não é Maddie
Notícias ao Minuto

17:55 - 01/03/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Madeleine McCann

A família de Julia Faustyna, a polaca que alega ser Madeleine 'Maddie' McCann, afirma ter provas de que as alegações são uma história “inventada” e que a jovem, de 21 anos, sofre de problemas psicológicos e que “sempre quis ser famosa”.  

“Temos a certidão de nascimento e também temos fotografias e memorabilia. É evidente que ela não é Madeleine”, disseram os pais da jovem ao jornal espanhol La Vanguardia, desmentido as alegações de Julia, que afirmou, nas redes sociais, não ter registos fotográficos de quando era bebé, nem de quando a mãe estava grávida.

“Ela tem agora um milhão de seguidores [nas redes sociais], que é o que sempre quis”, acrescentaram, apelando a que não se “leve a sério” o que a jovem afirma.

“Tentámos sempre ajudá-la, mas ela saiu de casa há muito tempo. Recusa tratamento e não toma a medicação”, explicaram.

Julia Faustyna tornou-se viral nas redes sociais após afirmar ser Madeleine McCann, a menina britânica que desapareceu em 2007, na Praia da Luz, no Algarve.

Na rede social Instagram, começou uma teoria de que “poderia ser Madeleine McCann” após ter “ouvido algo da avó” e fundamentou-a com várias marcas físicas semelhantes às da criança, como um sinal numa perna e num olho. 

A jovem tem 21 anos, mas acredita que a sua idade está errada, uma vez que Madeleine McCann teria agora 19 anos, e está disponível para fazer um teste um ADN e falar com os pais da menina desaparecida, Kate e Gerry McCann.

A menina britânica desapareceu a 3 de maio de 2007, poucos dias antes de fazer quatro anos, do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico, na Praia da Luz.

No ano passado, o alemão Christian Brückner foi constituído arguido pelo Ministério Público pelo desaparecimento de Maddie McCann. O nome do alemão surgiu pela primeira vez na lista de suspeitos no rapto em junho de 2020.

Segundo as autoridades, Brückner terá vivido no Algarve durante períodos entre 1995 e 2007 e registos telefónicos colocam-no na área da Praia da Luz no dia em que a criança inglesa desapareceu.

Leia Também: Jovem que alega ser Madeleine McCann pede ajuda a 'vidente' após críticas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório