Meteorologia

  • 22 JUNHO 2024
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 27º

Coreia do Norte agenda reunião política urgente sobre setor agrícola

A Coreia do Norte agendou uma importante reunião política para discutir a "tarefa urgente" de melhorar o setor agrícola, um sinal de possível agravamento da insegurança alimentar devido ao isolamento económico do país.

Coreia do Norte agenda reunião política urgente sobre setor agrícola
Notícias ao Minuto

06:48 - 06/02/23 por Lusa

Mundo Coreia do Norte

A Agência Central de Notícias da Coreia do Norte avançou hoje que membros do Politburo do Partido dos Trabalhadores, no poder, se reuniram no sábado e concordaram em realizar uma reunião plenária maior do Comité Central do partido, no final deste mês, para rever estratégias sobre agricultura e estabelecer novos objetivos.

Embora existam precedentes, é invulgar a Coreia do Norte realizar dois plenários partidários separados num período de dois meses. Também é raro a Coreia do Norte convocar uma reunião plenária sobre um único tópico, neste caso a agricultura, salientou o porta-voz do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, Koo Byoungsam, em conferência de imprensa.

"O governo vai acompanhar de perto a situação alimentar e as tendências internas da Coreia do Norte", disse Koo, acrescentando que a Coreia do Sul estima que a produção alimentar norte-coreana caiu cerca de 4% em 2022, para 4,5 milhões de toneladas.

Após o colapso das negociações nucleares com os Estados Unidos em 2019, o líder da Coreia do Norte afirmou que iria reforçar o programa de armas nucleares e mísseis, numa resposta às sanções e pressões dos Estados Unidos e exortou a nação a manter-se resistente na luta pela autossuficiência económica.

Contudo, a emergência da pandemia da covid-19 desencadeou um novo golpe na já débil economia da Coreia do Norte, forçando a nação a proteger o sistema de saúde com controlos fronteiriços rigorosos que estrangularam o comércio com a China, o principal aliado económico do país. A Coreia do Norte foi também atingida por tufões e inundações devastadoras em 2020, que dizimaram as colheitas.

Num estudo publicado no mês passado no 'site' 38 North, focado na Coreia do Norte, o analista Lucas Rengifo-Keller afirmou que a insegurança alimentar no país está provavelmente no pior ponto desde a fome que matou centenas de milhares de pessoas nos anos 90.

É difícil estabelecer uma avaliação precisa das necessidades humanitárias da Coreia do Norte, tendo em conta a natureza fechada do regime e a ausência de estatísticas. Contudo, as estimativas sobre a quantidade de cereais emitidas por agências das Nações Unidas e governos externos, bem como os possíveis aumentos acentuados dos preços do arroz e do milho observados por organizações não-governamentais, indicam que "o abastecimento alimentar do país provavelmente não conseguiu satisfazer as necessidades humanas mínimas", escreveu Rengifo-Keller.

A guerra da Rússia à Ucrânia provavelmente agravou a situação ao fazer subir os preços globais dos alimentos, energia e fertilizantes, dos quais a produção agrícola da Coreia do Norte está fortemente dependente.

"A Coreia do Norte está à beira da fome", disse Rengifo-Keller.

Leia Também: Nove pescadores desaparecidos em naufrágio ao largo da Coreia do Sul

Recomendados para si

;
Campo obrigatório