Meteorologia

  • 24 JULHO 2024
Tempo
23º
MIN 20º MÁX 38º

Dois mortos e 4 feridos graves em ataque a igreja ortodoxa na Etiópia

Dois jovens cristãos ortodoxos foram mortos hoje e quatro pessoas ficaram feridas com gravidade durante um ataque a uma igreja deste culto no sul da Etiópia, anunciou um meio de comunicação local ligado à igreja.

Dois mortos e 4 feridos graves em ataque a igreja ortodoxa na Etiópia
Notícias ao Minuto

18:17 - 04/02/23 por Lusa

Mundo Etiópia

O ataque ocorreu em Shashemene, na região de Oromia, noticiou a agência France Presse, citando o Tewahedo Media Center (TMC), órgão da igreja ortodoxa do país.

Abune Henok, o arcebispo da diocese de Adis Abeba, capital etíope, descreveu o ataque como "vergonhoso e desolador".

O TMC acusou as forças de segurança de terem perpetrado o ataque naquela cidade, que dista cerca de 250 quilómetros da capital.

Até ao momento, não foi possível confirmar as informações de forma independente, acrescenta a AFP.

O arcebisbo Abune Henok apelou, entretanto, às autoridades de Oromia, a maior e mais povoada região etíope, para cessarem a "perseguição" aos cristãos ortodoxos, informou o TMC.

O incidente ocorre num contexto de tensões no seio da igreja ortodoxa de Tewahedo, depois de os bispos rebeldes terem criado, em janeiro último, o seu próprio sínodo na região de Oromia.

A unidade desta igreja, uma das mais antigas do mundo com perto de 40% de fiéis dos 115 milhões de etíopes, encontra-se sob ameaça.

A igreja de Tewahedo, dirigida pelo patriarca Abune Mathias durante uma década, declarou uma cisão ilegal e excomungou os bispos envolvidos.

Acusou ainda o Governo do primeiro-ministro, Abiy Ahmed, de interferir nos assuntos da instituição e de fazer declarações em que reconhece o "grupo ilegítimo".

Oriundo da comunidade oromo, o primeiro-ministro apelou esta semana ao diálogo entre as partes intervenientes considerando que ambas têm "a sua própria verdade".

Os padres dissidentes acusam a igreja de discriminação e hegemonia linguística e cultural, argumentando que esta não se dirige às congregações em Oromia na sua língua materna, queixas descartadas pelo patriarcado.

O Conselho Mundial de Igrejas (CMI) emitiu uma declaração na sexta-feira expressando a sua "profunda preocupação" com as tensões no seio da instituição etíope.

"Apelamos a todos os líderes políticos da Etiópia que apoiem a Igreja Ortodoxa Etíope de Tewahedo nos seus esforços para alcançar a unidade e a paz entre os seus membros", disse o secretário-geral do CMI, Jerry Pillay.

Leia Também: Instalações médicas no Tigray ainda sem medicamentos nem equipamentos

Recomendados para si

;
Campo obrigatório