Meteorologia

  • 05 FEVEREIRO 2023
Tempo
15º
MIN 8º MÁX 18º

João Lourenço: "É na paz que devemos procurar desenvolver forças armadas"

O presidente angolano disse, esta terça-feira, que a preocupação com a segurança nacional deve acontecer não só em tempo de guerra como em tempo de paz, defendendo que os países "devem prestar sempre particular atenção" a este tema.

João Lourenço: "É na paz que devemos procurar desenvolver forças armadas"
Notícias ao Minuto

20:40 - 24/01/23 por Lusa

Mundo Angola

Para João Lourenço, que falava no Palácio Presidencial, durante a cerimónia de posse das novas chefias militares, realçou que "é em período de paz" que se deve "procurar desenvolver e fortalecer" nas "forças armadas".

"Daí a necessidade de, sempre que for necessário, sempre que a situação o requerer, acontecerem processos de promoção nas carreiras e movimentação das chefias e dos comandos militares", referiu.

"Costuma-se dizer que é na paz onde existem melhores condições para qualquer Estado se preparar e se prevenir melhor para qualquer eventualidade, que, de preferência não deve acontecer", salientou.

Mas, às vezes, sustentou o Presidente angolano: "Nem tudo depende de nós o que pode acontecer. Portanto, é na paz que devemos procurar desenvolver e fortalecer as nossas forças armadas".

João Lourenço nomeou, na semana passada, vários oficiais para as chefias militares de Angola, nomeadamente um novo chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Angolanas (CEMFAA) e o respetivo adjunto, novos comandantes do Exército e da Força Aérea Nacional e outros responsáveis da Casa Militar e da Unidade de Segurança Presidencial.

Aos recém-nomeados, que hoje tomaram posse, por possuírem "uma folha de serviço invejável", o Presidente angolano pediu dedicação, acreditando que a defesa e a segurança do país "estão entregues em boas mãos".

O general Altino Carlos José dos Santos é o novo CEMFAA e tem como adjunto o tenente-general Artur Santos Vinama.

O general João Serafim Kiteculo é o novo comandante do Exército, para dirigir a Força Aérea Nacional foi empossado o general Virgínio António da Cunha Pinto. O general Gouveia de Sá Miranda é o inspetor-geral de Defesa Nacional e o general Sequeira João Lourenço foi nomeado chefe adjunto da Casa Militar do Presidente da República.

Vários outros responsáveis dos distintos ramos das Forças Armadas Angolanas foram igualmente empossados.

Leia Também: Angola deve contar com projeto de reflorestamento estimado em 2,7 milhões

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório